Mensagens de apoio - 1

O EscolasemPartido.org agradece as mensagens de solidariedade à jornalista Mírian Macedo e ao coordenador do site, Miguel Nagib, em razão da ação judicial movida pelo Sistema COC de Ensino.

Estamos certos de que essas mensagens terão um peso decisivo no resultado desse processo. Elas mostram da forma mais eloquente a importância do EscolasemPartido.org como canal de expressão da comunidade escolar, e o direito dessa comunidade de se expressar livremente sobre a qualidade dos serviços que lhe são prestados. No julgamento unânime de seus pares – pais e mães de alunos – Mírian Macedo não abusou desse direito. Nenhum magistrado ficará indiferente a esta realidade.

Essa causa é vital para o nosso movimento; dela depende a sobrevivência do EscolasemPartido.org. Por isso, manteremos na página inicial do site um link permanente para os principais andamentos, peças e fatos do processo, como um memorial desse esforço obstinado, covarde e autoritário do Sistema COC de Ensino de calar e punir a mãe que ousou criticar o conteúdo de uma apostila adotada pelo colégio da filha e o site que se atreveu a divulgar a crítica.

*  *  *

Não se calem diante desta ameaças. Eles não aceitam críticas, mas querem impor suas "idéias". Não suportam críticas, pois não tem argumentos para contestá-los, por isso tentam usar da força para conseguirem seus intentos. Parabéns pelo trabalho de vocês. Márcio Machado Mureb (Niterói, RJ)


Eu apóio a causa do Escola Sem Partido e repudio veementemente qualquer tentativa de limitar sua liberdade de imprensa e de expressão de opiniões. Daniel Moreno Sant'Anna (São Paulo, SP)


Escrevo para manifestar minha solidariedade com a causa defendida, bravamente, pelo Escola Sem Partido. O episódio relatado no caso "COC" revela-se bastante emblemático do modo como alguns "pedagogos militantes" instrumentalizam o ensino para domesticação cultural das indefesas mentes que acabam por deformar. Longe de propiciar o propalado "pluralismo", o processo de ensino (que faz lembrar a descrição de Kafka assim como a própria ação ajuizada pela referida instituição) constitui uma via de mão única em que apenas uma voz pode ser ouvida. Gáudio Ribeiro de Paula (Brasília, DF)


Mírian Macedo disse apenas a verdade. Se o sistema de ensino em questão não gostou, deveria procurar se analisar e se consertar, em vez de tentar esconder a própria sujeira debaixo de panos legais ou então agir na truculência ignorante, tal qual faz um violento e irracional embrigado diante de uma ofensa. O COC deveria se corrigir, não se ofender. Júlio Severo (Brasília, DF)


O sistema COC de ensino parece acreditar-se no direito de nao ser criticado. Isso e a maior demonstracao de autoritarismo possivel. Por que nao defendem seu material didatico com argumentos, em vez de processar os criticos? Considero a atitude do COC uma violencia, usando a Justica a fim de coibir o direito a critica, que e tao importante para o funcionamento e a liberdade de uma sociedade. Rubem Pereira (Liverpool, UK)


"(...) aparecerão entre vós falsos doutores. Eles introduzirão sorrateiramente doutrinas perniciosas(...). Muitos os seguirão em seus desregramentos e, por causa deles, a doutrina da verdade será alvo de zombarias. Mas a sua condenaçao desde muito está decretada e sua ruína, ao invés de cochilar, os espreita." (2 Pe 2:1-3). Coragem e sorte na luta contra a malícia. Lucas Novaes (São Paulo, SP)


Venho expressar a minha falta de surpresa em saber que idéias liberais foram, mais uma vez, criticadas no âmbito do ensino brasileiro. Venho expressar a minha falta de surpresa em saber que um juíz tentou impedir (julgando contra o interesse do desenvolvimento da instituição do regime de mercado, sobre o qual se alicerça a nossa sociedade) a veiculação de críticas ao sistema de ensino dominado pela esquerda burra que atola o desenvolvimento do país (não sozinha, é claro). Por fim, espero que o site ganhe esta batalha contra a arbitrariedade (...) e o ideário retrogrado formado desde os tempos do colegio por professores de geografia e história que pouco (na melhor das hipóteses) entendem de economia, mas insistem em dar os seus pitacos sobre o tema da maneira mais vil possível, pois sabem que exercem grande influência sobre a mente em formação dos jovens estudantes brasileiros. Bruno Teodoro Oliva (São Paulo, SP)


Presto minha solidariedade ao site e à jornalista Mírian Macedo contra esse ataque à liberdade de expressão e de crítica. Vivemos em tempos sombrios e, infelizmente, boa parte das escolas têm contribuído para isto. Orlando Tambosi (Florianópolis, SC)


Parabéns ao trabalho do site. Parabéns à jornalista. A iniciativa dessa rede é apenas uma tentativa de intimidação dos meios utilizados para a crítica em um país que nos oferece liberdade de denunciar aquilo que não achamos correto. Isso faz parte da democracia. Confiem no Poder Judiciário, que fará valer esse direito.

A doutrinação Marxista, em minha opinião, é de uma crueldade não mensurável. Imputar na mente dos alunos de forma velada uma cultura que pune o mérito e premia a mediocridade é no mínimo negligente, fato esse que pode transformar pessoas de potencial em meros fracassados.

Esse esquerdismo doente, que traz como seu dogma máximo: O Estado proverá, é mais um mecanismo que os educadores mal intencionados oferecem aos jovens para transferir seus fracassos ao Estado. E quantos alunos brasileiros já passaram nas mãos de um desses? Triste é o país que ensina o jovem a ser pobre.

Presto solidariedade a todos os envolvidos. Peço que esse episódio sirva como um combustível para que continuemos denunciando qualquer tipo de doutrinação criminosa. Não vamos frear. Pisemos no acelerador. Em nome de um futuro melhor para nossos filhos e netos. Simão Júnior (Brasília, DF)


Preocupado com a situação por que passa seu site, e imaginando, segundo o rumo das coisas, que no futuro encontraremos mais dificuldades pela frente, tomei a liberdade de publicar sua carta nos Blogs Coligados (http://blogscoligados.blogspot.com). De minha parte, como pai que também já viu a tendência dissimulada ser inoculada nas crianças, manifesto meu total apoio à sua luta. Nossos filhos são serão ovelhas ou robôs de ninguém! Klauber Cristofen Pires (Belém, PA)


Infelizmente parece que algumas escolas ainda tentam manipular seus alunos através do que rotulam de sistema de ensino, e o que é pior utilizam-se de sua estrutura como instrumento para tal. O cotidiano está aos olhos de todos. Que nossos alunos pensem com as próprias cabeças. Fernanda Boucault (Mogi das Cruzes, SP)


"Certa bonum certamen Fidei" (I Tm VI,12). Combater o bom combate. Jamais desista, assim como você, existem inúmeras iniciativas contra essa partidarização não somente da escola, mas da Igreja (veja em www.pascendi.org), da família, enfim, da sociedade como um todo. Principalmente, porque a pior ideologização que está sendo feita é com a perversa doutrina marxista. O combate, o bom combate, possui inúmeras frentes, você está em uma delas.

"Aprendi que um jovem cristão deixa de ser jovem, e há muito não é cristão, quando se deixa seduzir por doutrinas ou ideologias que pregam o ódio e a violência... Aprendi que um jovem começa perigosamente a envelhecer, quando se deixa enganar pelo princípio fácil e cômodo de que 'o fim justifica os meios', quando passa a acreditar que a única esperança para melhorar a sociedade está em promover a luta e o ódio entre grupos sociais, na utopia de uma sociedade sem classes, que se revela bem cedo na criação de novas classes." (Papa João Paulo II, em 1980). Rogério Amaral Silva (Taguatinga, DF)


Esses marxistas são um bando de imbecís, retrógrados, e burros. As idéias que eles pregam já provaram não prestar, veja a queda do muro de Berlim e a derrocada da Rússia. Em Cuba, o povo é miserável e passa a vida tentando fugir para os Estados Unidos. Você já ouviu falar de um americano, Francês, Inglês ou outro proveniente de país capitalista se refugiar, pedir asilo em Cuba? Isto prova que que estas idéias, na prática, não prestam. Só mesmo em um país com professores tão carentes de educação como o Brasil, esta idéia, repudiada na URSS seria possível. Odinir Braz (Marlborough, Massachusetts)


Meu total e solidário apoio à causa do EscolasemPartiodo.org. É preciso conter a doutrinação marxista, executada segundo Gramsci e em adiantado estado de dominação. É o que faz o nefasto foro de São Paulo, que procura recuperar na America Latina o que perdeu ena Europa. O marxismo não deu certo em nenhum lugar do mundo. É uma ideologia entorpecente que visa controlar o estado com o apoio de jovens e sindicalistas, principalmente. Ingo Baims (Rio de Janeiro, RJ)


Solidarizo-me com o site escolasempartido e com todos os que combatem a mentira e a doutrinação ideológica nas escolas. Esse tipo de pessoa não respeita os alunos. A sociedade brasileira precisa reagir. Em sua maioria a população brasileira não aceita as sinistras pretensões esquerdistas, e o melhor que temos a fazer é combatê-los prontamente, reagir, dizer abertamente ao povo quem verdadeiramente são esses maquinadores. Vílson Pereira (Taguatinga, DF)


Pelo direito que todos os cidadão tem e dos futuros cidadão, de ter acesso ao ensino isento e puro de qualquer tendência política, deixo aqui meu apoio ao site e disposição para auxiliar no que for preciso. Mauri Cioato (Taguatinga, DF)


Dou todo meu apoio à vocês, equipe do Escola Sem Partido. Pois como fui estudante de uma Faculdade Pública também pude perceber o quanto a impregnação Gramscista ideológica está cada vez mais pulsante nas instituições de ensino. Prindipalmente devido ao trabalho árduo de analfabetos funcionais (digo professores) que são sempre ligados a algum órgão esquerdista dominador. Se o Judiciário ainda não houver se contamindo pela doença sofrida destes ideologístas, com certeza não haverá nenhum tipo de punição. Pois é constitucional que lugar de escola é ensinar com qualidade e não ter qualquer cunho ideológico partidário. Vamos ver se nossa constituição tão humilhada pelos esquerdisas vai valer de alguma coisa. Flávio Henrique de Oliveira Silva (Ituiutaba, MG)


Sou brasileiro morando no exterior e gostaria de um dia voltar a viver no meu país. Infelizmente, tenho medo que as crianças de hoje, que estão tendo seus cérebros lavados por marxistas e outros fascistas, criarão uma nação de mentes falidas. O comunismo foi a causa de grande morte, tortura, pobreza e sofrimento no século XX. As crianças brasileiras tem o direito de conhecer a história sem distorções, sem partidos e sem opiniões. O professor tem que ensinar e não lavar as mentes das crianças! Será que a América do Sul terá que passar os mesmos horrores que a Europa Oriental passou? Hoje o leste europeu é próspero graças ao livre-comércio e ao capitalismo, será que nós nunca aprenderemos essa importante lição?

Acho ridículo também que EMC, Filosofía, e OSPB façam partes do nosso currículo escolar, por que aí entra doutrina. O importante é investir no ensino de ciência, informática e idiomas, ou seja, formar crianças prontas para o mundo globalizado do século XXI. Temos que investir em laboratórios e computadores e não em doutrinas.

Enquanto as crianças do Japão, Coréia do Sul, União Européia, Austrália, Israel, EUA, Nova Zelândia, Cingapura e outros países avançados aprendem programação, engenharia, química, etc; nossas crianças aprendem luta de classe, reforma agrária e outras babozeiras. O Brasil assim fica para trás, segue sendo um país com grande potencial que não consegue realizar, e graças a organismos como o COC, talvez nunca realizará... Marcos Carvalho


Apoio inteiramente a iniciativa do site EscolasemPartido e considero como nossa, a luta para acabar com essa lenta lavagem cerebral que alguns professores e escolas fazem nas cabecinhas de nossos filhos. Parabéns pela coragem. Ivan de Oliveira Brizida Junior (Rio de Janeiro, RJ)


Sou totalmente solidário ao site. Atualmente sou estudante do curso de Direito pela Universidade Federal de Uberlândia e como ex-aluno COC, acho infundada o processo aberto. Onde está o direito da livre expressão? Estaríamos voltando acaso a alguma ditadura pela sensura à opinião alheia? Contem comigo! Weslley (Uberaba, MG)


Apraz-me saber que existem pessoas como eu, também preocupadas com os rumos e descaminhos da nossa "Educação". Hoje em dia professores, com poucas exceções infelizmente, fazem parte de uma súcia que institucionalizou no ensino oficial, a greve anual como forma de remuneração (aumento salarial) por meio de trabalho não realizado. Existem também aqueles que entendem que licença médica é sinônimo de férias e tendo facilidade de conseguí-las causam sérios prejuízos ao sistema aqui no DF. Todos sabemos disso, o que eles não sabem é que achincalharam tanto a profissão, por práticas como essas, entre outras, que já não tem o beneplácido e o apoio da sociedade. Quando vi meu filho de seis anos no Colégio Sagrado Coração de Maria, na Asa Norte, ter nas aulas de "religião" ministradas por uma freira na faixa dos sessenta anos, que só falava em MST, desigualdades e luta de classes, revoltei-me e entreguei uma carta desaforada na secretaria. Um absurdo. Sou plenamente consciente de que alguma coisa tem que ser feita para mudar essa doutrinação subreptícia e covarde. Lecionei três anos na faculdade de arquitetura da UnB, por onde formei-me e fiz o mestrado em Planejamento Urbano, considero-me um liberal e um democrata consciente. Não quero ver os meus filhos e netos vivendo num país igual ao desses nossos vizinhos, não é possível que não possamos ser coisa um pouquinho melhor pelo menos. A nossa articulista não deve portanto sobrelevar as agressivas expressões abaixo-da-crítica formuladas por esses impatriotas. Mário Roberto L. Pereira da Silva (Brasília, DF)


Como mãe e como educadora que fui, apoio integralmente o site e as opiniões aqui colocadas. Tornou-se prática neste país, usar a censura (proibida pela Constituição) para intmidar e processar quem se atreva a discordar do autoritarismo esquerdista. Porém, não somos a Venezuela (ainda, pelo menos). Não iremos nos calar diante da alienação ideológica que vêm praticando há mais de 30 anos neste país e que, cada vez se torna mais agressiva e arrogante. Por isso, apóio o site, seus editores e todos aqueles que também o apóiam. Saramar Mendes de Souza (Goiânia, GO)


A Constituição Federal - no seu artigo 206 e incisos II e III está sendo afrontada descaradamente:

"Art. 206. O ensino será ministrado com base nos seguintes princípios: ... II - liberdade de aprender, ensinar, pesquisar e divulgar o pensamento, a arte e o saber; III - pluralismo de idéias e de concepções pedagógicas, e coexistência de instituições públicas e privadas de ensino;..."

A PERVERSA DOUTRINAÇÃO IDEOLÓGICA DE CUNHO MARXISTA-LENINISTA - cuja ideologia foi responsável pela maior tragédia provocada pela ação (des)humana do século passado - como se vê - 'ressuscitou' e quer interditar o contraditório - como se fosse portadora da 'verdade e da superioridade moral'.

A ideologização da educação tem como objetivo a 'construção' da hegemonia, ou seja, a 'produção' de uma (in)consciência que assegure a adesão e o consentimento das grandes massas, justamente para ter o DOMÍNIO TOTAL DA SOCIEDADE.

Há no mundo dois sistemas econômicos - o capitalista e o comunista. O resto é fraude. NO MOMENTO em que se condena o CAPITALISMO - na forma como de deboche e linguagem chula: "Como se conjuga um empresário":

"Acordou, barbeou-se... beijou, saiu, entrou... despachou... vendeu, ganhou, lucrou, lesou, explorou, burlou... convocou, elogiou, bolinou, estimulou, beijou, convidou... despiu-se... deitou-se, mexeu, gemeu, fungou, babou, antecipou, frustrou... saiu... chegou, beijou, negou, etc., etc.".

ESTAMOS DIANTE - uma verdadeira patologia ideológica - e no pior dos descaminhos - ao invés da razão e do progresso. O excesso de 'amor' aos pobres - leva a mantê-los longe de tudo que pode convertê-los em 'odiosos capitalistas'. Assim pensando - que a propriedade e a acumulação de capital que leva a riqueza são pecados, não são direitos 'convenientes' aos pobres, os esforços pra diminuir a pobreza acaba num monstruoso paliativo que são os programas neopopulistas de assistência social. O CAPITALISMO - queiramos ou não é a única forma de promover o bem estar humano - justamente porque é da essência do capitalismo - a liberdade individual.

O QUE IMPEDE O DESENVOLVIMENTO - É O ESTATISMO E A CORRUPÇÃO, principalmente a sistêmica instituída pelos pais fundadores do totalitarismo soviético. A intervenção do governo na produção, circulação e comércio desenvolve o cancro da corrupção, o favoritismo e o clientelismo político. Uma democracia com governo limitado, justiça independente e honesta que somente podem existir sob o marco regulatório de uma ECONOMIA LIVRE, porque esta e somente esta libera as pessoas da miséria, da dependência e dos abusos do poder.

''O poder tem a tendência a se corromper e o absoluto poder a de corromper absolutamente'' - power tends to corrupt, and absolute power corrupts absolutely. Lord John Emerich Edward Dalberg-Acton (1843-1902) É DE SE REITERAR À EXAUSTÃO - TODOS OS PAÍSES DESENVOLVIDOS O FORAM PELA VIA DO CAPITALISMO - OU SEJA, COM O CONCURSO DECISIVO DO CAPITAL PRIVADO, ECONOMIA DE MERCADO, LIBERDADE, PLURALISMO, RESPEITO À PROPRIEDADE PRIVADA, AOS CONTRATOS E OS NECESSÁRIOS LIMITES AO GOVERNO. NÃO HÁ EXCEÇÃO. Rivadávia Rosa


Apóio incondicionalmente este Site. A revolução gramsciana segue impávida, arruinando a mente e o coração de nossas crianças. Precisamos fazer alguma coisa, opor barreiras contra a doutrinação lulopetista que infesta nossas escolas. Parabéns pela luta! Carlos Alberto Caetano (Taguatinga, DF)


Não me impressiono com a atitude do COC, apenas me pergunto por que ainda não tornamos nossa indignação em algo prático!!!! Não poderíamos na esfera judiciária exigir que os colégios e principalmentes os professores sejam IMPARCIAIS? Esclareço aos tolos marxistas de primeira viagem que IMPARCIAL aqui tem a conotação de apresentar as idéias obsoletas de Marx e também as idéias antigas e corretas de F.A. Hayek, K. Popper, L. Mises e outros. Pois no Brasil apresentam o Liberalismo pela ótica de marxistas, tal atitude não "cria consciências", mas molda, em outras palavras "lavagem cerebral". Walson Júnio Braz (Goiânia, GO)


Incrível como não se respeita a liberdade de expressão!!! Estamos no século XXI, temas como a educação merecem ser vistos sobre diferentes matizes. O papel pioneiro de conscientização do site "Escola sem Partido" não pode ser ameaçado desse modo. A Educação, conforme destaca a Alegoria da Caverna do livro a República de Platão, prende-se a uma visão iluminada do mundo, longe das trevas da ideologia que, infelizmente, impregna muito dos nossos sistemas de ensino público e privadO, mantendo as pessoas presas às sombras das paredes da caverna. Força!!! Não desistam!!! Persistam, resistam e continuem lutando pela liberdade educacional!!! Atenciosamente. Paulo José Leite Farias Professor Universitário e Promotor de Justiça do MPDFT (Brasília, DF)


Parabéns pela iniciativa do site. Sou professor de Ensino Médio no Rio e também testemunha da voz única esquerdista na educação. Coragem nesta hora! Afinal, se até a mentira total o esquerdismo consegue propagar, a verdade tem vez e, no final, prevalecerá sempre. Raphael De Paola (Rio de Janeiro, RJ)


O "Escolasem Partido.org" e a jornalista e mãe Miriam Macedo merecem a minha solidariedade e a de todos os pais e cidadãos conscientes que já perceberam o mal que fazem pseudo-professores e irresponsáveis instituições, ao praticarem doutrinação ideológica na sala de aula, ao invés de ensinarem objetivamente. Não posso acreditar que as instancias superiores da Justiça darão guarida a essa absurda ação contra o Escola Sem Partido. Se isto ocorrer, será a hora de enfrentarmos a barbárie ou fazermos as malas. Freeman


O Escola Sem Partido cumpre um serviço de inestimável valia ao advogar por um ensino livre de ideologias e baseado essencialmente no desenvolvimento moral, espiritual e intelectual dos jovens. A sociedade brasileira está cansada de ser agredida diariamente por picaretagens, roubalheiras, engodos, mentiras históricas e diversos tipos de imoralidade; é por isso que dou, hoje e sempre, todo o meu apoio à causa deste maravilhoso site. Avante, amigos! O Brasil precisa de vocês! Rodrigo Marques Ramos da Rocha (Rio de Janeiro, RJ)


Eu apóio o trabalho da "escola sem partido". Fora comunistóides e petentos. Queremos um ensino limpo e digno para as nossas crianças e jovens. Graziela (Marília, SP)


Registro aqui meu apoio ao site, magnífica iniciativa para um ensino limpo, honesto, orientado para a busca da verdade das coisas e da valorização da pessoa contra a politização maldosamente calculada para doutrinar nossas crianças. Eduardo Leite (São Paulo, SP)


Escrevo para solidarizar-me com a autora do texto que tratou da apostila do COC. Está muito clara a carga ideológica e pejorativa do conteúdo da apostila utilizada pelo COC! É uma violência à liberdade de pensamento! Assim como é uma violência à liberdade de expressão vedar a manifestação legítima de quem denúncia esta carga ideológica. Ivan Allegretti (Brasília, DF)


É incrivelmente vergonhoso esse disparate do Sistema COC de "Ensino". Os pais de alunos têm todo direito de examinar criticamente e divulgar o que é ensinado aos seus filhos. Esse direito precisa ser exercido de maneira ainda mais urgente quando se trata desse lixo ideológico forçado na cabeça dos alunos. Fernando (Rio de Janeiro, RJ)


Tendo estudado cerca de quinze anos no mesmo colégio particular, sou testemunha de que "o método pedagógico porno-marxista" existe e é praticado sem o menor pudor. Não escapam dele nem mesmo as escolas "católicas". Falo por experiência própria. Já fiz uma pesquisa, e não conheço ninguém da minha idade que não tenha sido submetido a essa porca pedagogia.

Para ilustrar, passo a contar algumas pérolas dos meus ex-professores (felizmente, esqueci a maior parte desse tesouro de sabedoria):

Lembro-me muito bem de um professor de História que me deu aulas durante uns três anos. No início, lembro que ele até fazia piadinhas com os ex-colegas comunistas de faculdade. O sujeito chegou até a dizer, certa vez: "O comunista é comunista só até o dia em que ele consegue comprar o primeiro carro."

O tempo passou, e, no terceiro ano do segundo grau, o professor de história estava transformado. Não sei o que houve naquele meio-tempo, mas o novo homem que nos deu aulas preparatórias para o vestibular já não era aquele capaz de fazer piadinhas com os comunistas. Não, ele agora parecia mais um militante do PSTU ou do PCdoB incitando os alunos à luta etc. etc.! Não lembro direito o que ele disse nos últimos meses de aula, mas me impressionou bastante, porque naquele tempo eu já estava crescidinho e não engolia qualquer afirmação feita pelos "mestres". Enfim, era já um novo homem o meu professor: ele havia passado por uma revolução raulseixiana. Será que o coitado tinha precisado vender o carro?

E o professor de Biologia, então? E aqui devo abrir um parêntese: Apesar de ser um grande amigo, uma pessoa com quem eu podia conversar sobre literatura e cinema (no fundo, uma boa pessoa), esse meu professor foi um dos que fizeram mais estragos na minha cabeça. Digo isso porque quero deixar claro que nada tenho contra a pessoa desse professor, mas apenas contra "o método pedagógico porno-marxista" de que ele também era adepto. Cheguei inclusive a lhe mandar uma carta amistosa, dois ou três anos depois de ter saído da escola. Mandei-lhe de presente "A Descoberta do Outro", de Gustavo Corção. A carta nunca foi respondida.

Mas, voltando ao assunto, lembro que eu tinha aulas de Biologia segundo o método "porno-marxista". Sei que é difícil imaginar uma aula sobre síntese protéica nos moldes da pedagogia suína, mas, acredite, essa aula é perfeitamente possível, e consiste em comparar o núcleo celular com um empresário malvado e poderoso, as organelas com o proletariado superexplorado etc. etc., e em fazer, de vez em quando, algumas referências mais apimentadas ao corpo humano, ao sexo etc.

Sobre esse último aspecto, aliás, lembro-me perfeitamente bem do dia em que o professor falou do pH vaginal e do iogurte, fazendo uma clara referência ao sexo oral...

Ah, e para lembrar da síndrome de Patau, causada pela trissomia do cromossomo 13, como é que ele fazia? É simples: PT-13. PT-13. PT-13. Muito simples.

Como se não bastasse, ainda tínhamos aulas de educação sexual com outros "especialistas". E aí as coisas ficavam ainda mais – como direi? – picantes. Constantemente os professores nos convidavam a nós alunos para que explorássemos os nossos corpos, sem pudor, "sem culpas". Lembro até que a professora nos ensinava como manusear o espelho nessa fantástica busca pelo conhecimento...

E eu achava tudo normal. Só depois de alguns anos é que fui entender o motivo de um colega meu, presbiteriano convicto, sentir-se tão desconfortável durante as aulas de educação sexual. Agora me vem à memória a frase de Nelson Rodrigues: "A educação sexual só devia ser dada por um veterinário." E o veterinário deveria dar aulas de quatro, acrescento.

Mas eu ainda não terminei:

A professora de literatura, no último ano da escola, soltou esta: "Onan era o deus grego da masturbação". Emprestei-lhe um livro de ensaios de Carpeux, e me pareceu que ela ficou muito impressionada e meio sem graça ao descobrir que existiam pessoas (jovens!) que liam aquilo. Um tempo depois ela me devolveu o livro, dizendo que o irmão dela, professor no mesmo colégio, gostava daquele tipo de leitura.

E, já que toquei no assunto, devo falar um pouco do irmão da minha professora de literatura, com quem também tive algumas aulas para o vestibular. Ele era um freudiano dos mais descarados, que aproveitava qualquer oportunidade para empurrar nos alunos as teorias do doutor vienense. Em qualquer poema em que se fazia referência a uma pomba ou a uma avezinha qualquer, lá estava o sábio professor para nos dizer que aquilo se tratava, na verdade, do símbolo de uma vagina etc. O distinto também ensinava que o ato de um bebê mamar com prazer nos peitos da mãe representava a satisfação sexual etc. etc. Claro, aí está uma relação de causa e efeito perfeita. Um pouco de Rudolph Allers, acho, não teria feito nenhum mal ao sábio professor.

E o caso me traz à memória um outro professor de literatura, um homem muito "ilustrado" que via no ato de uma pessoa lavar bem seu carro uma espécie de representação da masturbação (ou coisa parecida), e no ato de os padres sentarem as crianças no colo uma coisa mais sutil e profunda... E, veja bem, esse professor foi o melhor que encontrei.

E os livros que éramos obrigados a ler? Frei Betto, Betinho, Boff e cia. E o material didático, que não deixava nada a desejar para o do COC?

Ah, acabo de lembrar outra cena. Na aula de história (sempre essa matéria), ríamos das obras de arte medievais, tão desproporcionais, tão disformes... O meu professor, é claro, não leu Régine Pernoud.

Paro por aqui. Eu poderia citar alguns casos mais, acontecidos comigo, e outros tantos passados com os meus amigos e parentes, mas acho que já disse o bastante.

Enfim, a nova pedagogia está em todo lugar, tanto nas escolas públicas quanto nas particulares, e alunos dedicados mas moralmente fracos, e que desejam levar o aprendizado para a vida prática, são os mais prejudicados – mais uma vez falo por experiência própria.

Que estrago a pedagogia porno-marxista fez na minha alma! Eu era fraco e queria ser bom aluno, queria colocar as coisas em prática. E aí brigava com os meus pais etc. etc. Até hoje sinto muita vergonha das coisas que fiz naquela época, influenciado pelos amigos e principalmente pelos ensinamentos da escola.

(Hoje, se eu pudesse planejar a minha própria educação e voltar à infância, desejaria que os meus pais me tirassem da escola e me dessem, para "compensar", a coleção "Gateway to the Greatbooks" da enciclopédia Britannica, de preferência traduzida para o português.)

Em suma, a nova pedagogia nada me trouxe de bom, e nada trará de bom a ninguém. Nem mesmo a tal "consciência política" os meus professores conseguiram forjar nos alunos. O tiro saiu pela culatra, e praticamente nenhum colega meu se interessava por questões políticas. Até hoje eu não me interesso realmente pelo assunto. Quando ouço alguém falando nos "anos de chumbo" ou quando vejo integrantes de movimentos estudantis discursando na faculdade, tenho vontade de sair correndo.

Não dizem por aí que a minha geração é pouco politizada, acomodada, indiferente? Pois me parece que isso aconteceu como efeito direto da tão falada "educação para a cidadania". Falaram tanto, mas tanto de política (e na hora errada), que ninguém quer mais ouvir falar no assunto. Está aí uma hipótese a ser investigada.

Por tudo isso, caro editor, peço que o sr. não desista da luta. O site é precioso, mas talvez faltem pais realmente preocupados com o que as crianças estão aprendendo no colégio. Ou talvez eles existam e só estejam precisando conhecer o "Escola sem Partido".

Parabéns àqueles que estão por trás do site e aos colaboradores, especialmente à jornalista Mírian Macedo! Davi James Dias (Belo Horizonte, MG)


Força!! Continuem o trabalho em prol da honestidade intelectual e de uma escola sem partidarização. José Rodorval Ramalho (Aracaju, SE)


Apresento meu irrestrito apoio à jornalista Miriam, bem como ao Nagib, dono do site, e repudio veementemente as ações contra qualquer pessoa, site, blog pessoal ou assemelhados,que prestam um grande serviço de informação ao público, sobretudo àquele que, como eu, dedica a maior parte das horas do dia, ao longo já de 28 anos, em favor da defesa de uma Educação de qualidade, sem engajamentos de natureza político-ideológica. Trabalho na rede estadual, mas farei tudo que estiver ao meu alcance, no sentido de alertar as pessoas sobre a conduta antidemocrática e patrulhadora que o Sistema C.O.C está empreendendo contra pessoas que ousam discordar de seu "modus operandi".Sem dúvida, um desserviço à Educação, uma falta de respeito com quem , por questões de princípios,prefere não expor suas crianças e adolescentes a uma lavagem cerebral intencional ou não. É lamentável que o COC não tenha outro objetivo que não o de ganhar dinheiro (isto não é coisa de capitalista burguês?), não se bastando com as mensalidades proibitivas de suas escolas, venda de material didático e que tais,ainda mais com ações indenizatórias milionárias de quem puder sugar?? Enquanto eu estiver lecionando, na minha escolas eles não entrarão. A menos que queiram passar vergonha tentando explicar o inexplicável. Nem a tal Ideli Salvatti, que bem sabia subir o morro para encher o saco de quem não queria fazer greve e pedir votos para se eleger e ficar no bem-bom sem trabalhar, ousa pôr os pés aqui. E não é por falta de desafio... Nós a estamos aguardando, com palmatórias. Cordiais saudações. Lia de Souza (Florianópolis, SC)


Aproveito a ocasião para me solidarizar com o site Escolasempartido.org por estar sendo coagido pelo poderoso Sistema COC. Nosso país está longe de ser aquele que sonhamos para as pessoas a quem amamos, no entanto, não justifica que, por isso, passemos a defender regimes autoritários que foram reprovados pela História. Nossa democracia (ainda imperfeita) foi construída com sangue e lágrimas de muitas pessoas de bem, e, tenho certeza de que não foi em vão! Nosso país ainda haverá de ser uma grande nação sobre a Terra. Vejam o exêmplo do Chile: optou pela democracia e está prestes a entrar no primeiro mundo. Será o primeiro país latino-americano a ter essa honra. Outros países-irmãos, infelizmente, estão optando pela ilusão do autoritarismo. Não podemos sucumbir a essa tentação. Cada ser humano tem o direito de pensar como quiser, mas, não de impor sobre mentes em formação como esta poderosa rede de ensino vem fazendo. Nada justifica tal atitude. Estou com o Escolasempartido.or g e todos que estão sendo ameaçados. Confio na Justiça. Alexandre do Espírito Santo Rocha (Estância, SE)


Apóio o site escolasempartido e repilo toda e qualquer ação tendente a massificar o pensamento e a inibir a expressão da consciência individual. Educação é coisa séria e ser professor não é criar papagaios, mas sim ensinar a pensar, questionar, criticar e descobrir Ensinar é apontar, com a sabedoria de quem está passos à frente, o caminho para os demais, para que sigam adiante, em liberdade, com os pés apoiados no conhecimento, e os olhos fitando o futuro, o novo, com coragem, confiança, rompendo dogmas e criando seus próprios referenciais. Espero que essa ação proposta seja indeferida em nome da liberdade de pensar e de se expressar. Beatriz Kicis (Brasília, DF)


Prezado Nagib, você tem o meu apoio irrestrito contra essa ação vergonhosa do COC. Continue firme. Cassiano Pereira de Farias (Rio de Janeiro, RJ)


Como pai de família, eu me declaro solidário com a senhora Mírian Macedo. Se as apostilas fornecidas pelo sistema COC têm o conteudo que a senhora Mirian diz que têm, então são mesmo horríveis. Noto que a resposta do sistema COC não contesta nenhum fato apresentado pela senhora Mirian Macedo. O que se diz é que os fatos, na opinião deles, são justos. Se percebe o viés ideológico do sistema COC no seguinte trecho: "O que tratamos aqui é da teoria marxista ou do materialismo histórico-dialético". Certamente a teoria marxista precisa ser estudada a sério, em confronto com outras teorias. Se é mostrada como sendo a única teoria verdadeira e não se ensina as alternativas, então se trata de doutrinação, sim. Eu não duvido que o sistema COC trata de teoria marxista. Resta saber como o Sistena COC trata a teoria marxista, e o que o sistema COC ensina ao seus alunos além de teoria marxista. Flamarion Daia Júnior (Brasília, DF)


Como professora da UFRGS, sou testemunha de como a ideologia rasa de esquerda faz mal (assim com a ideologia rasa de direita, claro)para o ensino e o pensamento sobre a verdade e em prol do conhecimento. É claro que a jornalista e todos da Escola sem Partida têm minha solidariedade e sentimento de revolta. Nós estamos deixando de ser uma democracia. É isso que me assusta. Rosalia Garcia


Diante de tantas mazelas não podemos de maneira nenhuma ficar calados. O que estão tentando é no minimo um crime contra a nossa já tão cambaleante democracia. Vamos nos opor contra qualquer direcionamento de nossas crianças, pois corremos o risco de formar um batalhao de "nazistas" em futuro proximo. Parabens pelo trabalho que estão prestando a nossa sociedade que ainda pensa um pouco. Luiz Alves Dias (Porto Alegre, RS)


Gostaria de solidarizar-me nesta luta contra o bombardeio de propaganda negativa e preconceituosa nas mentes de nossas crianças e jovens contra determinadas classes sociais, as que detêm poder econômico, para miná-las na base, inclusive entre seus próprios jovens, doutrinando nossos jovens pelo caminho do comunismo, em suas versões mais ou menos atenuadas, mas todas iníquas. A justiça social não se constrói na progadanda sistemática da mentira, mas na verdade. Miguel Frasson - Professor de Matemática da USP (São Carlos, SP)


Li o texto de Mirian Macedo. Como advogado creio que está havendo uma inversão. Os causadores de dano moral são exatamente as escolas (ou melhor pseudo-escolas) que ensinam não só falsas doutrinas (como é o caso do marxismo, do evolucionismo, etc.), mas também induzem a comportamentos morais reprováveis. Os pais que se esforçam para imprimir uma educação hígida a seus filhos, todavia, continuarão a enfrentar dificuldades de vez que estas fazem parte do "fenômeno" da Revolução Cultural, com a qual as esquerdas - fracassadas na doutrinação ideológica explícita - tentam subverter os últimos vestígios da cultura cristã. Ronaldo Ausone Lupinacci (Barreiras, BA)


Lamentável este episódio desta ação que fere o direito de liberdade de expressão pela simples divulgação de fatos verdadeiros. Esperamos por uma decisão da justiça que garanta às nossas crianças e jovens o direito moral e legal a um desenvolvimento intelectual livre e saudável e garanta também o acesso a todo conhecimento, sem a limitação a uma ideologia limitada e ainda por cima distorcida e descontextualizada como a que vem sendo impingida nestas citadas escolas. Talvez assim ainda haja esperança de vivermos em uma sociedade realmente livre, plural, desenvolvida e sem preconceitos, onde exista o verdadeiro respeito a todos, o que na verdade esta imposição ideológica e policiada vem impedindo. Parabéns pelo trabalho de divulgação do site! Pedro Bianco (Rio de Janeiro, RJ)


Prezada Mírian, admiro sua luta e do Miguel por um ensino livre de ideologias. Já sofri e ainda sofro muito com isso, pois tenho quatro filhos. Contem com meu apoio, solidariedade e orações. Não obstante permita-me breve digressão: aqueles que ainda insistem em implantar o marxismo no Brasil são uns verdadeiros Policarpos Quaresma querendo tornar o tupi-guarani nossa língua oficial. São verdadeiramente cegos. Não enxergam a realidade cada vez mais capitalista que nos cerca. Quanto a nós que combatemos essa ideologia pré-histórica, na verdade estamos combatendo o fantasma que assombrou a europa no século 19 e que morreu podre. Se é que fantasma morre. De qualquer forma, estou com vocês e não abro. Sérgio Fontes (Salvador, BA)


Nossa escola apóia integralmente a causa do Escola Sem Partido. Contem conosco, e parabéns. CONSERVATÓRIO MUSICAL BROOKLIN - Meri Angélica Harakava (São Paulo, SP)


É lamentável, para não se dizer irritante o que essa "esquerda enlameada, corrupta", que não tem nenhum compromisso com nossa Pátria, anda fazendo.E o pior é que ainda encontra apoio de muitas pessoas desinformadas. Em nosso País há uma inversão de valores muito grande: os bandidos, ladrões, assaltantes dos cofres públicos, ex-terrosistas, ex-assaltantes de bancos, e tudo o que é de criminosos, serem tratados como cidadãos de bem e o este ser ridicularizado, tratado como se errado fosse. O senhor está prestando um relevante serviço à nossa Pátria, não se deixe intimidar, eles sentem é inveja do senhor, porque não podem ter o caráter patriota que é uma de suas virtudes, pois é impróprio da ideologia deles. Nossa Pátrtia precisa de homens como o senhor. Vamos combater esses bandidos descompromissados com a verdadeira democracia, que eles querem subverter. Enviei e-mails para todos meus contatos pedindo apoio. O bem tem que vencer o mal para o bem de todos nós brasileiros. Siga em frente, senhor! E que Deus nos proteja! Antonio de Brito Carvalho


O marxismo pregado hoje é um veneno para a molecada, vide o caso da USP. Não consegui concluir meu curso em uma universidade pública de São Paulo por conta de inúmeras greves estudantis que visavam atindir os "tecnocratas neo-liberais". Preferi pagar mensalidade e estudar junto aos "burgueses" para escapar da bagunça e poder me formar. Dou todo o meu apoio a Miguel Nagib e ao escolasempartido! Marcelo Augusto Monteiro (Osasco, SP)


Congratulações ao site Escola Sem Partido. Apoio as ações do site e enquanto educadora temos a obrigação de defender a escola sem partido e e toda a forma de manipular o conhecimento, o dicernimento e a autonomia do cidadão aluno que devemos educar. Enquanto professores com viés ideológico forem responsáveis pela formação de nossos alunos afim de pregar lutas de classe e a serviço de uma teoria obsoleta marxista a vitimização de povo crescerá aos olhos dos alunos que com a lavagem cerebral cotidiana farão a vontade do politicamente correto e do regime que acreditam será implantado – haverá uma gritaria contra a perda intolerável da auto-estima dos pobrezinhos da população discriminada, reforçando assim a cadeia ideológica do coitadismo debilóide do aluno que não estuda, nem a isso é cobrado; o professor que nada ensina, ou ensina um mar de bobagens ideológicas como se tornou a escola pública. Alice Oliveira (São Paulo, SP)


Prezada Senhora Mirian, receba minha total e ampla solidariedade pela atitude corajosa e correta, descrita em seu texto em relação este método de ensino retrogrado e destruidor, infelizmente estamos cercados de todos os lados por este lixo, mas como a senhora nao podemos nos acovardar diante daqueles que nao descansam do seu objetivo que é destruir a base de toda sociedade prospera e feliz, que é a familia. Conte com o meu apoio e com certeza de todas as familias de bem do nosso amado Brasil. Marcus Vinicius de Souza Viana, Contabilista (Porto Alegre, RS)


É lamentável que se tenha tão pouco apreço pela liberdade de expressão. Na sociedade atual pode-se falar contra o papa, Deus, Buda, Alá etc mas não se pode falar do conteúdo do ensino infantil? Que país é esse em que um artigo que faz uma crítica contundente contra o conteúdo do ensino vira alvo de uma ação judicial? Ao site "Escola sem Partido" e a autora do artigo, minha solidariedade! Onildo Santos (Rio de Janeiro, RJ)


Eu não concordo com a mensagem marxista transmitida pelo COC. Uma escola, como garantido constitucionalmente, deve ser uma instituição isenta politicamente. Rita Gomes (São Paulo, SP)


Na década de 60, meu pai tirou meus irmãos e eu de escolas católicas porque não concordava com a doutrinação marxista dos professores de história. Fomos para uma escola leiga, onde o ensino era menos ideológico. Atualmente, nos livros de geografia de meus filhos, ainda me choca encontrar velhos conceitos, já revistos pela prática de países socialistas. Não são todos, mas muitos professores de história e geografia precisam respeitar a verdade e as mentes de seus alunos, que apenas repetem o que se espera deles para garantir boas notas. Stella Daudt (Rio de Janeiro, RJ)


Primeiramente, parabenizo-os pelo trabalho do "Escola Sem Partido". Hoje, sou aluno de pós-graduação e completei dois cursos superiores, um em universidade pública e outro em universidade particular católica. Penso que as habilidades adquiridas ao longo desses cursos, por um motivo ou por outro, me prepararam para enxergar melhor que aquilo que consideramos "dados" são, no fundo, interpretações orientadas por teorias específicas.

Contudo, um aluno de Ensino Médio tem maior dificuldade para enxergar tal coisa. No meu tempo de escola, quando apresentava minhas objeções à teoria da evolução, à filosofia pós-moderna e relativista embutida nas disciplinas diversas, desde literatura até biologia, era tido como um dogmático que se recusava a aceitar os "fatos". Quando apresentava minhas objeções à idéia de que o lucro vem da exploração do trabalho, era visto como uma pessoa sem visão profunda do assunto. Quando afirmava que a falta de liberdade econômica, e não o contrário, havia gerado a grande depressão do começo do século XX, me diziam: "você é ainda novo, não descobriu a verdade sobre o assunto". E assim por diante.

Minha situação talvez seja semelhante à de alguns alunos. Penso que os seguintes fatores contribuem para isso:

1- Falta de informação: em primeiro lugar, os alunos não aprendem a enxergar o mundo pelos óculos teóricos, eles sequer sabem da existência de óculos quando olham para o mundo. Pensam que têm acesso direto - neutro, não teórico - à realidade. Curiosamente, os marxistas afirmam a importância de reconhecer esse fator, mas obviamente não a praticam nas escolas. Em segundo lugar, conhecimento de explicações alternativas para os fenômenos. Poucos sabem, por exemplo, da variedade de propostas para modelos atômicos, ou para modelos do DNA, ou mesmo de outras teorias científicas para explicar a deriva continental, a formação de fósseis, etc. Em suma, os alunos precisam ter noções sobre como a ciência funciona, em termos gerais.

2- Ênfase doentia no vestibular: a escola se limita ao conteúdo do vestibular, tal como a intelligentsia o dita. É simples: as universidades federais, que em geral são as mais almejadas pelos alunos, determinam a bibliografia - ou o viés - específico. As escolas e cursinhos limitam-se a ensinar o que é pedido. A ênfase sai da educação e cai sobre o treinamento (ou adestramento) para responder às questões do vestibular local.

3- O politicamente correto / uma visão de mundo secular-humanista: claramente, o que nos é ensinado nas escolas é um sistema, um sistema que envolve com certeza alguns nomes como Marx, Freud, Nietzsche, dentre outros. Esse sistema forma uma visão de mundo na qual o aluno se vê submerso.

4- Ausência dos pais: os pais não se importam mais com os três fatores acima, desde que o filho garanta sua vaga em uma boa instituição de ensino superior. Boa, segundo algum critério governamental, diga-se de passagem.

5- Regulação governamental sobre o que deve e o que não deve ser ensinado: o governo financia livros didáticos, bolsas para pesquisa, etc. O governo em vários âmbitos tenta ser o árbitro daquilo que é e que não é científico.

Felizmente, com a internet, facilita-se o combate a esse tipo de coisa. Mas, no Brasil, ainda estamos em um grande atraso. Parabenizo mais uma vez o "Escola sem Partido" pela proposta de monitoramento via sociedade civil, e não via coerção governamental. Atenciosamente, Lucas G. Freire


Miguel Nagib tem meu total apoio nessa jornada a favor da não contaminação ideológica de nossos filhos. A escola não pode ser ambiente de pregação ideológica, que tenha por base e fundamento o ódio social e a luta de classes. Isso é o contrário do que se pode esperar em um ambiente democrático, pois pregação (ideológica ou de qualquer outra natureza) não condiz com a abertura das mentes às diversas correntes do pensamento humano. Ao contrário, a ideologia cega. A ideologia nada esclarece. A ideologia não permite o pluralismo. A ideologia é boa apenas para os seus ditadores. Nunca para os que são a eles submetidos, pois elimina, primeiramente, a liberdade de escolha. Depois, a liberdade de expressão. Depois, ainda, o direito de ir e vir. E, por último, como mostra a História, a vida do que se recusem a se submeterem ao arbítrio. Plinio Gustavo Prado Garcia (São Paulo, SP)


Apoio o site Escola Sem Partido no episódio da crítica ao ensino do COC. Espero que o Poder Judiciário tenha o bom senso e a inteligência para absolver o site. A atitude do colégio é um péssimo exemplo de intolerância. Jamais matricularia filhos meus no COC ou em outra escola que utilize seu material! Diogo de Almeida Fontana (Curitiba, PR)


Na Venezuela, o presidente já está fechando empresas de telejornalismo por motivos ideológicos, atentando diretamente contra o princípio de liberdade de expressão! Será que também teremos no Brasil ações similares por parte do governo, reprimindo o direito de liberdade de expressão de cidadãos e organizações, por razões ideológicas? Se a nossa constituição garante esse direito, por que razão o poder judiciário brasileiro ampararia o pedido da organização Sistema COC de Ensino para condenar a autora do texto "Luta sem classe", senão através de clara demonstração de viés ideológico? Se a COC tem a liberdade de criar o seu material de ensino com o conteúdo que desejar, então outros têm o direito de gostar ou não do material, e publicamente divulgar a sua opinião. A falta de bom senso moral e ético parece estar corrompendo a nossa sociedade! Jose Bianco (Rio de Janeiro, RJ)


Gostaria de registrar meu apoio ao Escola Sem Partido nessa questão envolvendo o COC. Espero que a justiça garanta o direito à liberdade de expressão dos jornalistas e dos sites envolvidos. Qualquer material didático não só pode como deve ser submetido a críticas e análises. Rodolfo Scopel Jacobine (São Bernardo do Campo, SP)


O que fazer se seu filho está sendo doutrinado por pessoas mal-intencionadas? E se essa pessoa se aproveita da confiança que sua profissão inspira? Cara Mírian Macedo, coragem em sua luta. É assim que uma mãe de verdade deve se comportar. O material divulgado é, no mínimo, de extremo mal-gosto. A qualificação em termos pejorativos de qualquer profissão, de empresário a prostituta, é atitude lamentável em um cidadão comum. Inaceitável a quem queira educar. Ricardo Fernandes Dionízio (São Paulo, SP)


Parabéns pelo trabalho! É sempre gratificante descobrir que ainda existem pessoas sensatas no país e pais responsáveis que fazem questão de acompanhar o que é ensinado aos seus filhos. Um abraço solidário, Oswaldo Portella de Oliveira Junior (São Paulo, SP)


Solidarizo-me com a jornalistas e com todos que estão sendo vítimas desses algozes que talvez desejassem viver em Cuba ou na Venezuela. José Paulo da Silva Costa Junior (Brasília, DF)


Ultimamente tem me dado uma vontade louca de me fechar em uma cúpula, para ficar livre da mídia em geral. A coisa está ficando impossível de se aturar. As informações tem sido passadas para nós de maneira totalmente contaminada do ponto de vista politico e ideológico. Não se pode mais ser isento hoje em dia, que aparece um para chamar o outro de analfabeto político. Ainda bem, que nesta seara ainda se encontra sitios como o de vocês, do Reinaldo, do Olavo e outros, para sabermos que ainda existe vida inteligente e crítica na face da terra. Arnaldo Gerecht (São Paulo, SP)


Revoltante. Parece que os empresários brasileiros precisarão ter seu patrimônio expropriado pelos futuros cidadãos que eles "educam" no sistema COC de doutrinação anti-capitalista para que se dêem conta do absurdo que são essas apostilas. Verdadeiro lixo ideológico. Se os filhos da elite intelectual do país estão sendo doutrinados dessa maneira, acho que nunca mais nos livraremos dessa aberração. Ubirajara Pires (São Paulo, SP)


Apoio a iniciativa do site e me sinto feliz por terem coragem de enfrentar os que se prestam a tal desserviço. Lúcio Menezes (Brasília, DF)


Presto minha solidariedade a Miriam Macedo e a Miguel Nagib. O Sistema COC não pode ganhar essa. Abraços! André Braga (São Paulo, SP)


a q ponto chegamos??? uma escola adotar tal postura simboliza a decadência da lógica. a conjugação de verbos do empresário é hilária... chamar aquilo de educação é fanfarronismo, um ultraje. pouco me importa a posição política do professor. Importa sim a forma como ele ensina seus alunos. Que se mostre os dois lados da questão e deixe o aluno decidir qual lhe é mais pertinente. Não se deixem envergar. Lutem de cabeça erguida contra esses lunáticos que encaram suas opiniões como verdade universal. Pedro Daltro (Rio de Janeiro, RJ)


Li no blog do Reinaldo Azevedo o texto de Míriam Macedo e a ridícula resposta do COC. então fiquei sabendo deste site. Estou solidarizando-me com o site. A partir de hoje sabendo de algum amigo ou parente com intenção de matricular os filhos no COC, alertarei-os para o conteúdo pedagógico do COC. Parabéns, vão em frente. Maneco (Santos, SP)


Quero manifestar meu apoio ao Escola Sem Partido, em relação à ação judicial impetrada contra ele por um certo "Sistema COC". Paulo Roberto Maciel Santos (Curitiba, PR)


Que vocês continuem a desmarcarar a estupidez! Minha solidariedade. Luiz Emanuel (Recife, PE)


Gostaria de parabenizar o site pelo excelente trabalho. Gostaria também de manifestar a minha solidariedade à Sra. Mirian Macedo. São pessoas como ela que nos fazem deixar de crer (ao menos por curtos momentos), que o Brasil poderia ainda se desviar do caminho de mediocridade que decidiu trilhar. Michel Dalla (São Paulo, SP)


Minha integral solidariedade à senhora Mirian e meu integral repúdio a esse sistema comuno-fascista pornográfico de ensino! Alvir Galle (Pomerode, SC)


Parabéns pelo site e pela oportuna iniciativa. Chega! Esse país não sai do chão enquanto a educação estiver na mão desses "perturbados intelectuais". Estou sempre de olho nas apostila da escola do meu filho e nunca permitirei que a escola que pago se torne veículo de doutrinação. Luiz Martins Valero (Americana, SP)


Abaixo o aparelhamento das escolas, fora sindicalistas vagabundos e ignorantes! Nelson Motta (Rio de Janeiro, RJ)


Todo meu apoio ao EscolasemPartido.org. É realmente uma lástima o marxismo vagabundo desses professores. Augusto de Franco (Brasília, DF)


Contem com minha irrestrita solidariedade. Parabenizo aos idealizadores do site pela iniciativa e dentro de minhas possibilidades, me coloco a disposição para enfrentarmos esta situação absurda pela qual estamos passando. Alberto (Campinas, SP)


Parabéns pelo trabalho de vocês. Fico muito grato de saber que este país tem pessoas assim. Leandro Pedrotti Coradini (Jaraguá do Sul, SC)


Queria dizer que estou solidário a vocês no caso do COC. Eu não tinha idéia do quão repugnante era o conteúdo das apostilas da escola. Infelizmente nossos livros de história tem realmente um viés marxista, mas eu nunca vi uma coisa tão escancarada como essa. Vou fazer o possível para divulgar o fato para o maior número de pessoas que eu conseguir, pois isso não pode ficar assim. Nossos jovens têm de ser salvos dessa lavagem cerebral estúpida. Muito obrigado pela denúncia. Victor Hugo M. Cimatti (São Paulo, SP)


Conte com minha ajuda para divulgação destas aberrações. Tenho diversos amigos que tem filhos matriculados no Colégio Pentágono. Vou alerta-los sobre o COC. Tenho certeza que protestarão. Luis Antonio Franco (São Paulo, SP)


Bom dia, embora seja díficil numa situação dessas, de completa estupidez. O Reinaldo está quase descrente que o Brasil tem jeito, eu já perdi a esperança. Quando se lê padre Antônio Vieira e constata a mesma burrice, corrupção naquela época, fica-se sem futuro. Infelizmente esse nível de desinformação é o mais comum nas escolas brasileiras de qualquer nível. Meus parabéns à Mirian, apesar da desesperança de dias menos estúpidos no Brasil. João José Passos Sobrinho (Barretos, SP)


Parabéns pelo site. É preciso fazer algo pela recuperação da qualidade do ensino e pela defesa dos valores da cultura clássica, tão vilipendiada nas últimas décadas. César Morales (São Paulo, SP)


Tenho um filho e fico muito preocupado com o rumo que o Brasil esta tomando, o que será do futuro das crianças com essa educação deturpada que vem sendo gestada?? O que será dos nossos filhos se eles crescerem com uma visão confusa e relativista dos fatos?? Estes malditos educadores são lobos vestidos em pele de cordeiro, são a encanação do mal, estão loucos para levarem às futuras gerações todo o caos presente em suas proprias mentes. Não podemos nos furtar de nossa responsabilidade, enquanto pais, de educarmos nossos filhos antes que esses malditos pedagogos destruam sua cabeças. Mario (Salvador, BA)


Vamos lá pois o Mundo e de quem tem coragem. Romolo Saporito (Rio de Janeiro, RJ)


Este é um dos maiores absurdos que já vi. Deveria constar em destaque do FEBEAPA, festival de besteiras que assola o país, bem como em relevo no livro Manual do perfeito idiota latinoamericano. Dirceu Bertin (São Paulo, SP)

Continua

 

 


Tomatadas

O Blog do Diniz


De olho no livro didático

Blog do Prof. Orley


Não deixe que seu professor faça isso com você.


Denuncie!


Enfim, o tema musical da educação brasileira



Biblioteca Politicamente Incorreta

O-Guia-politicamente-incorreto-da-história-da-América-Latina


 

Popular

Novidades

Contato