Depoimentos

Divulgaremos neste espaço depoimentos de estudantes que tiveram ou ainda têm de aturar a militância político-partidária ou ideológica de seus professores.

Esperamos, com isso, alcançar um duplo resultado. O primeiro é ajudar outros estudantes a identificar as estratégias de doutrinação e propaganda utilizadas por seus professores e, naturalmente, se precaver contra elas. O segundo é mostrar aos professores que porventura se reconheçam em tais depoimentos o grande erro que vêm cometendo ao tentar fazer de seus alunos futuros "agentes de transformação social", a serviço desse ou daquele partido ou ideologia.


De Jovem com Coração a Adulto com Coração. Depoimento de Arthur Ribeiro (07.07.2016)

Fiz o primeiro e segundo graus num colégio religioso, em Natal/RN. Entrei em 1982. Era o fim do período militar e início da redemocratização. O ideário esquerdista estava em expansão, trazendo consigo a ideia mentirosa de que defendiam a democracia (quem quiser conferir pode ver as declarações de Fernando Gabeira e Eduardo Jorge no You Tube). Àquela idade, jovem com coração, eu admirava muito os partidos de inspiração marxista. As contradições desse sistema não eram para mim, nem são para os jovens de hoje nem serão para os jovens de amanhã motivo para a perda da fé apaixonada. Já disse que falo de jovens.

Leia mais...

Depoimento de Ives Braghittoni (07.07.2016)

Acompanho e admiro o trabalho do Escola Sem Partido há muito tempo. Acredito que, no longo prazo, a luta pelo fim da doutrinação nas salas de aula é o que de mais importante pode haver para impedirmos que o Brasil afunde no totalitarismo.

Claro, parte da estratégia de quem pratica lavagem cerebral contra crianças é ou dizer que isso não existe, ou tentar minimizar a prática. Eu sou a prova viva de que eles mentem. Para quem viveu a doutrinação, chega a ser patético ouvir que isso “não existe”, ou que “não é tão grave”, ou que “é questão de opinião”. 

Este é o meu depoimento.

Leia mais...

Depoimento de Priscilla Aydar (21.01.2016)

Durante os anos de 2008 e 2009 eu lecionei inglês na melhor escola pública de Uberlândia, a ESEBA – Escola de Educação Básica da Universidade Federal de Uberlândia. Lecionei para alunos do 6º ao 9º ano e tive uma fantástica experiência profissional, já que a escola federal é muito diferente das estaduais ou municipais: há recursos, há estrutura, há apenas mestres e doutores na docência e o salário é bem acima da média. Foram dois anos intensos e felizes e eu mentiria se dissesse que não sinto saudades...

Leia mais...

 


Tomatadas

O Blog do Diniz


De olho no livro didático

Blog do Prof. Orley


Não deixe que seu professor faça isso com você.


Denuncie!


Enfim, o tema musical da educação brasileira



Biblioteca Politicamente Incorreta

O-Guia-politicamente-incorreto-da-história-da-América-Latina


 

Popular

Novidades

Contato