Mensagens de apoio - 4

  • Imprimir

Sr. Presidente do Sistema COC de ensino

Quando decidi escrever-lhe essa mensagem, pensei em citar importantes autores, escrever palavras belas, ou simplesmente ofender a postura dessa instituição, mas prefiro fazer algo um pouco mais inteligente (e assim me diferenciar dos outros emails que deves estar recebendo).

Desejo, sinceramente, que esse processo seja julgado em 1º, 2º instâncias, que vá ao STF, que dê muito 'barulho'... pois por essa iniciativa do COC vcs vão divulgar muito mais os sites em questão... e lá no STF (se a justiça ainda prevalecer nesse país) vcs serão condenados... diante de uma imprensa incrédula que o que o COC tem a ensinar a Chaves, para que a população não entenda o que está acontecendo. O azar (de vcs) é que no Brasil ainda existem pensadores que não foram contaminados... e é com esses pensadores que o sistema COC está brigando. Briga boa... de 'gente grande'... acompanharei muito de perto e pedirei que muitos amigos acompanhem tb... até pq a maioria nem olha o material dedidático dos filhos. Será um bom pretexto para começarem. Isso graças à iniciativa Gramsciniana do Sistema COC de tentar calar aqueles que contrariam a sua idéia. Belo exemplo que o Sistema COC está dando. E rumo ao STF. Essa briga vai ser boa. Respeitosamente,  Eduardo Taborda (Porto Alegre, RS)

______________________________________

Quero deixar aqui registrado o meu apoio à brava jornalista Miriam Macedo, por denunciar a doutrinação ideológica em nossas escolas. Defendo, também, o seu(e o nosso) direito à liberdade de expressão. Cláudio André Salum Faria (São Paulo, SP)

___________________________________________

Olá.Deixo aqui a minha solidariedade à articulista que denunciou o sistema COC de Ensino e que injustamente está sendo processada.Espero que tudo corra bem e que a justiça prevaleça acima de tudo.Cordialmente, Guilherme Vinicius Magalhães (Belo Horizonte, MG)

_____________________________________

Gostaria de enviar minha mensagem de apoio à jornalista Mírian Macedo em especial pelo artigo em que ela critica as metodologias de ensino utilizadas pelo sistema COC de ensino. Além do apoio aproveito para criticar o sistema por sua metodologia retrógrada, e principalmente na horrenda atitude de simplesmente processar os jornalistas que criticaram o sistema. Mais do que um desrespeito à liberdade de expressão, a COC mostrou que desrespeita seus clientes - o que coloco em dúvida sobre a seriedade desta empresa. Diogo Rengel dos Santos (Curitiba, PR)

_________________________________________

Prezada jornalista Mirian e coordenador do site EscolasemPartido,escrevo-lhes para prestar meu apoio irrestrito, inclusive porque também sou professor, e dizer-lhes que sempre haveremos de estar lutando pela liberdade do individuo, seja de falar, de empreender, de contestar, de opinar, de votar, de .... . Haveremos porque, assim como vocês, existimos aos milhares, anônimos, honestos, civilizados, porém prontos para as últimas conseqüências pelos nossos direitos.Um abraço, Jose Antonio Franzoni (São Bento do Sul, SC)

______________________________________

Caros Senhores, em apoio à campanha de vocês eu gostaria de citar alguns trechos de um livro que vocês certamente conhecem – La désinformation scholaire de Bernardi Bonilauri – e que corroboram os argumentos da jornalista Mirian Macedo. Alguns fatos pouco conhecidos com relação ao próprio Marx mas que são importantes e relacionados ao tema estão no Cap. 2 traduzido parcialmente mais abaixo. Na introdução tem-se:

Os idiotas úteis

Respondendo aos votos de aniversário que lhe foram feitos por Ribbentrop, o ministro nazista das Relações Exteriores, Stalin em dezembro de 1939 recordou que o armistício russo-germânico fora “selado com sangue”. Alusão quase grandiosa do cinismo da destruição da Polônia que sobreviveu como assinatura do pacto germano-soviético. A relação sangrenta reuniu Berlin e Moscou tinha-se tecido entre as duas ditaduras no outono de 1939: Stalin, o “Führer vermelho” lembrava com uma espécie de dileção mórbida a tragédia da Polônia, espremida entre os regimentos de Hitler no oeste e a divisões comunistas no leste.

O drama da ignorância escolar atinge tais proporções em nossos dias, que os liceus e colégios franceses atingindo a maturidade, não podem entender nada da mensagem de Stalin a julgar pelo conteúdo dos livros escolares. A rotina de ensino quer que eles consultem os livros de três ou quatro grande editoras: uma em cada duas destinadas ao ensino secundário é da editora Bordas. Por exemplo, o livro de história da editora Bordas que cobre o programa do terceiro colegial tem um capítulo sobre as causas da segunda guerra mundial. Os estudantes encontram aí uma curta passagem que menciona os acontecimentos na Polônia. Em contrapartida, os autores do livro omitem completamente o papel desempenhado pela URSS no esmagamento da Polônia: “Para surpresa de todos assinou-se em agosto de 1939 o pacto germano-soviético. Essa aliança permitiu a Alemanha se consagrar na guerra em direção ao Oeste. Em 1 de setembro de 1939, a Alemanha invadiu a Polônia. A França e a Grã-Bretanha declararam então guerra a Alemanha”. A União Soviética é tão inocentada de toda responsabilidade que sua intervenção sequer é citada.

É admissível que na França deste quarto de século, leitores de uma obra muito conhecida, ignorem como Stalin deu ordens ao exercito vermelho para ocuparem metade do território polonês enquanto Hitler atacava a parte ocidental? A montanha de injustiça intelectual é tal que bloqueia o exercício da reflexão pela supressão das informações concretas e datas. È a própria possibilidade de raciocinar que é mortalmente atacada. Priva-se o espírito de seu alimento essencial. Censura, desinformação: o texto que parece servir para conhecimento interdita o próprio acesso ao conhecimento.

Nos seus escritos pedagógicos, Emile Durkheim, um dos criadores da sociologia francesa, elogiava no início do século XX “a ciência e o espírito critico que nós colocamos hoje tão alto”. A vida social moderna, previa o sociólogo, devia exigir por parte dos cidadãos “um pensamento reflexivo, isto é, o pensamento iluminado pela ciência”. Durkheim entrevia o aparecimento de uma mentalidade cientifica; a civilização cumpriria uma nova etapa. Ele estava convencido que a discussão guiada pelas ciências imporiam seu rigor e sua claridade aos pedagogos. A literatura escolar dominante contrapõe um desmentido brutal a essas previsões otimistas; os livros rompem com esse ideal das ciências em um ponto capital: a atenção particular a respeito dos fatos.

Lênin, diz-se, estimava que a massa de “idiotas úteis” fornecia uma ajuda tão preciosa quanto involuntária. Nascido de uma incompreensão da historia, a inocência das gentes oferece armas psicológicas que tanto a estrema direita quanto a estrema esquerda sabem explorar. Hoje em dia (idos 1983), os escritores e as personalidades dissidentes que fizeram parte do universo soviético citam constantemente o dito de Lênin: face aos regimes marxistas-leninistas, os ocidentais demonstram uma imbecilidade que tanto mais os aflige quanto mais confirma o dito de Lênin.

Cap. 1 Embelezar (dourar) o sovietismo

A liberdade comunista (é um dos tópicos do capítulo)

A preocupação com a qualidade intelectual parece presente no espírito dos autores de livros escolares. Trata-se de por em primeiro lugar a verdade histórica, asseguram os redatores de uma obra histórica publicada por Bordas (Histoire: Le monde contemporaine 1914-1945, 1980) que é um dos grandes editores de livros escolares. Objetivo impecável que implica em um método e uma moral do conhecimento. O livro em questão retrata a verdade sobre o leninismo e o funcionamento da democracia leninista? Ensina-se aos alunos que depois da derrubada do governo tzarista, um governo reformista mis burguês foi criado por Kerensky. Partidários do extremismo revolucionário, Lênin e Trotsky iniciaram imediatamente a luta contra os novos dirigentes. E em 24 de outubro de 1917 Kerensky teve que se dobrar aos novos dirigentes. Segundo os autores de Bordas, um Estado realmente socialista veio a luz. A esta descrição das principais fases da revolução soviética falta um episódio sintomático da ditadura estalinista. Com efeito, no Outono de 1917 ocorreram eleições gerais para eleger os membros da Assembléia Constituinte. Os deputados fizeram sua primeira reunião em 5 de janeiro de 1918, e a maioria deles criticou a política de Lênin e rejeitou suas exigências. Dois dias mais tarde, sob ordem dos bolcheviques a Assembléia Constituinte foi dissolvida. Lênin promoveu assim o ato de morte da democracia eleitoral ao nascer; seu ocaso ancorava a filosofia antidemocrática do sovietismo. Isso enraizava o novo regime na tirania e no monopólio do partido comunista.

A omissão desse fato político capital constitui uma distorção a ética da informação; ela priva o aluno de um elemento de compreensão que engloba a evolução do sistema marxista-leninista no seu conjunto.

Cap.2 Condenar o Liberalismo

Em um discurso que Jules Ferry – o fundador da escola laica, obrigatória e gratuita - pronunciou no Senado em 1881 fez preciso que a educação neutra lhe parecia a “a mais exata” para definir a orientação republicana da moral escolar. Na sua forma moderna e livre, a cultura da educação envolve certos aspectos científicos e por outro lado polêmicos. Assim ocorre com a economia política: as ciências econômicas são necessariamente parte de uma instrução adaptada as necessidades da época, contudo ela se presta aos desvios ideológicos dos professore. É instrumento de conhecimento e de paixões cuja neutralidade nunca está preestabelecida.

Consciente dos possíveis desvios da pedagogia para o engajamento e a partidarização, Karl Marx pregava abertamente que a difusão de certos tipos de conhecimento se degradariam em técnicas de condicionamento: em acordo com Engels, não objetou ele a Bakhunin de querer “pregar a juventude russa o culto a ignorância sob o pretexto que a ciência atual não é senão uma ciência oficial ... como se houvesse uma matemática oficial, uma física oficial, uma química oficial”? (extratos citado por Kostas Papaioannou Les producteurs associes. Dictatour, prolétariat, socialisme, Diogène, octobre-décembre 1968).

Esse extrato não combina com a figura corrente de um Marx promotor da propaganda comunista, subordinando todas etapas culturais as necessidades do combate ideológico. A União soviética, fiel ao marxismo repensado por Lênin, pariu um sistema de escolaridade dominado pelas normas da ortodoxia, do partido único e do Estado: é a prova, segundo a opinião, que Marx sacrificou o exercício da reflexão aos objetivos da política totalitária. Restam esquecidos os textos do autor de O Capital que expunha suas concepções educativas pró-americanas: “Determinar por uma lei geral os recursos da escola básica, as aptidões exigidas aos docentes, as disciplinas ensinadas e, como ocorre nos EUA, supervisionar com a ajuda de inspetores do Estado a execução das prescrições legais, é totalmente outra coisa que fazer do Estado o educador do povo”.

Atitude ainda mais desnorteadora para nossas consciências alinhadas que, adotando confusamente a perspectiva leninista, assimila o marxismo sovietizado ao marxismo original. Karl Marx colocava a economia política entre “as matérias que admitiam interpretação de partido e de classe”. Como ele quisesse mostrar todo apreço que ele tinha em manter uma certa independência de espírito, Marx recomendava que não se ensinasse a economia “nem nas escolas elementares, nem nas escolas superiores. Este gênero de ensinamento é trabalho de adultos”. Teórico da revolução pelas forças econômicas, ele defendia, entretanto, a autonomia do saber sem a qual a idéia de ciência se esvaeceria. E assim como a pedagogia comporta riscos de manipulação dos alunos, Karl Marx superava o dilema postergando a idade de aprendizagem.

Há ainda outros trechos nesse capítulo bem interessantes, como a caricaturização daclasse dominante etc... . Certamente muitos desses episódios se repetem aqui no Brasil e podem servir de defesa para a jornalista.

Existe também um outro livro mais novo do famoso Vladimir Volkoff e Christine Champion chamado "La désinformation par l'Education Nationale" (Broché - 22 septembre 2005) que deve ser ainda melhor e ter mais argumentos, mas ainda não analisei. No endereço da amazon.fr ( http://www.amazon.fr/d%C3%A9sinformation-par-lEducation-Nationale/dp/2268055132 ) tem um resumo e um comentário de um leitor sobre o livro. Obrigado pela atenção. Emerson Schmidt (Campinas, SP)

____________________________________

Presto todo meu apoio à iniciativa do amigo Miguel Nagib em denunciar a sistemática e ilegal doutrinação politica nas escolas, tanto públicas quanto particulares. Como Pai e como Professor sei avaliar este falso ensino de cidadania. Nelson Lehmann (Brasília, DF)

____________________________________

Já é hora de se dar um basta nessa situação. Essa "raça" maldita (plagiando Bornhausen) vem agindo sem nenhuma oposição, e por isso mesmo pensa que é hegemonica. Parabens a vocês, por tomarem essa iniciativa, unica forma de barrá-los. Ricardo J.O. Fairbanks (Itu, SP)

____________________________________

Quando meus filhos cursavam o 2° Grau, no Rio de Janeiro/RJ, isso na década de 1970, os marxistas já começavam a colocar as mangas de fora. Muitas vezes tive que auxiliá-los nos trabalhos escolares, esclarecendo-os quanto aos absurdos que lhes eram ensinados, particularmente na matéria História do Brasil, onde a luta de classes era mostrada como sendo o motor dos acontecimentos, fossem quais fossem. Hoje, parece-me, a situação é bem pior e os principais responsáveis são os proprietários dos estabelecimentos de ensino que preocupam-se muito em cobrar as mensalidades e pouco, muito pouco, com o que é ensinado aos estudantes. Osmar José de Barros Ribeiro (Maringá, PR)

____________________________________

Sem dúvida alguma o conteúdo deturpado, passado aos alunos através das apostilas e outros materiais didáticos dessa instituição, merecem as mais rígidas repreensões. Temos que ficar alertas, pois este esquerdismo meio "joão-sem-braço" está infiltrado cada vez mais em nossa sociedade. Carlos Eduardo Britto Filho (Recife, PE)

____________________________________

Estou com vocês na luta contra a ideologização da escola. Marcos Guazzelli (Curitiba, PR)

____________________________________

O artigo da jornalista Miriam Macedo levanta apenas uma ponta da gigantesca propaganda comunista que está há muitos anos sendo disseminada nas crianças e nos jovens do Brasil. Há aproximadamente 20 anos, com filhos de 5 a 7 anos em colégio religioso de Porto Alegre, deparei-me com um livro de religião baseado na teologia da libertação que também ensinava a luta de classes na Caldéia no tempo de Abraão, que colocaba Jesus Cristo como um líder semelhante a Martin Luther King e que incitava nos hinos que apresentava no seu final, a luta de classes e claramente a idéia de assassinar o patrão. "O seringueiro com sua faca de seringa, se libertando do jugo do patrão". Na época fui ao colégio e protestei contra este tipo de ensino ideológico. O livro ainda tenho guardado como lembrança daquela época que achei haver acabado e que agora verifico estar mais viva do que nunca. Parabéns à jornalista e aos demais membros do Escolasempartido.org e do Mídia Sem Máscara. Fabio Freitas Jacques (Porto Alegre, RS)

____________________________________

Na condição de professor da Universidade Federal do Amazonas solidarizo-me com os esforços desta organização para despartidarizar a vida acadêmica neste país.

Transformar os departamentos acadêmicos em correias de transmissão de partidos fracassados, que se riem dos ideais democráticos, é um gesto solerte, mesquinho e que atenta contra todos os princípios éticos e legais que devem reger a atividade pública. Jorge Isper Abrahim Filho (Manaus, AM)

____________________________________

Simplesmente pela definição constitucional do Brasil como Estado Democrático de Direito, me solidarizo à jornalista Mirian Macedo, no tocante ao seu artigo "Luta Sem Classe". Ora, ninguém é obrigado a compartilhar das idéias do "escola sem partido", agora, simplesmente por não compartilhar de idéias, vamos tentar baní-las judicialmente? Patrícia Doubas Cancelier (Ponta Porã, MS)

____________________________________

Quero aqui deixar minha mensagem de solidariedade à jornalista Mírian Macedo, ao EscolasemPartido.org, ao site Mídia Sem Máscara e aos outros sites que divulgaram o seu artigo, além de expressar minha indignação e repúdio para com o sistema de ensino COC, objeto de manobra gramscista e da esquerda, que degrada nosso país como um câncer. Grato. Alexandre Rossetti (Joinville, SC)

____________________________________

Li o artigo da jornalista e não vi absolutamente nada que possa ser considerado ofensa moral a quem quer que seja. O conteúdo do texto se restringe ao debate de idéias, na medida em que ele aponta erros grosseiros e incontestáveis no material didático criticado.

Eu sou pai e também professor de Geografia, uma das áreas do conhecimento mais contaminadas pelo esquerdismo.Conheço bem as visões distorcidas que os livros didáticos de geografia constróem da realidade brasileira. Luis Lopes Diniz Filho (Curitiba, PR)

____________________________________

Cursei o Ensino Médio pelo sistema COC. Hoje, recém-formado em Direito pelo Largo de São Francisco, solidarizo-me com os srs., ora processados por revelarem o conteúdo sectário de grande parte do material utilizado naquele sistema. E tem gente que diz que vivemos uma democracia!

Coloco-me à disposição dos srs., e ofereço meu aplauso pela campanha. São pessoas como os srs. que ainda nos animam a amar este país. Ivan Arantes Junqueira Dantas Filho (Pirassununga, SP)

____________________________________

Cara Sra. Mírian Macedo,

Não me espanta em nada a situação pela qual a senhora passa. Ela apenas reflete o estado geral em que nosso país se encontra: um país covarde, em que a própria classe empresarial, aquela que deveria defender a livre iniciativa e as liberdade individuais, não tem sequer peito para enfrentar esses "esquerdinhas politicamente corretos". Pior do que isso, eles não tem nem mesmo miolos para perceber que são usados como papel higiênico por essa tropa de puxa-sacos esquerdistas que há decadas domina todo o aparato cultural do Brasil.

Tenho 23 anos, e há dois anos estou estudando nos EUA. Embora as viúvas de Marx também deem suas cornetas por lá, há um claro equilibrio de forcas, da qual a prática do homeschooling é um exemplo marcante. Aqui no Brasil, o que existe é ladainha esquerdista, da mais baixa qualidade.

Sra. Mirian, nao envergue o seu espirito por conta dessas acusações. Mantenha-se firme. Nós todos que queremos ver a escola brasileira desempenhando o seu papel de transmissora da verdade estamos ao seu lado. Desejo-lhe toda sorte. Que Deus esteja com voce. Luiz Henrique Bravo dos Santos (Serra, ES)

____________________________________

Dou meu total apoio à jornalista Mírian Macedo para que haja uma educação escolar sem as ideologias políticas que infestam as escolas públicas e privadas. Marcelo Costa Soares (Uberlãndia, MG)

____________________________________

Gostaria de lhes prestar solidariedade no combate contra a patrulha politicamente correta. Continuem! Sinceramente. Ederson Campos (Joinville, SC)

____________________________________

Presto aqui meu total apoio e solidariedade em favor da corajosa jornalista Mírian Macedo, do site EscolasemPartido.org e do site Midia Sem Máscara. Já esta mais do que na hora de dar um basta a essa doutrinação estúpida e diabólica que essas escolas infligem diariamente em nossos filhos. Não nos calaremos! Roberto V. Nascimento (São Paulo, SP)

____________________________________

Não sei se é possivel,mas a jornalista Míriam deve reverter processando-os,pois eles estão infringindo o direito à liberdade de expressão,que ainda tenho que crer, ainda vigora no Brasil, não? Regina Costa (Rio de Janeiro, RJ)

____________________________________

Época nebulosa esta em que vivemos, quando justamente os agentes do atraso (moral e intelectual) se auto intitulam "progressistas" e são muitas vezes realmente assim consideradas, por ingenuidade ou pelo mais vil maquiavelismo. Toda a minha solidariedade à Mirian Macedo e ao Escola sem Partido por esta árdua tarefa de defender os valores mais nobres de nossa sociedade, tão arduamente conquistados, contra essa corja comuno-anti-cristâ. Parabéns e força, que a missão não fácil nem pequena. Rodrigo (Goiânia, GO)

____________________________________

Todo apoio para a jornalista. Sou contra o ensino ideologico nas escolas. Jose Carlos dos Santos (Itapuranga, GO)

____________________________________

Época nebulosa esta em que vivemos, quando justamente os agentes do atraso (moral e intelectual) se auto intitulam "progressistas" e são muitas vezes realmente assim consideradas, por ingenuidade ou pelo mais vil maquiavelismo. Toda a minha solidariedade à Mirian Macedo e ao Escola sem Partido por esta árdua tarefa de defender os valores mais nobres de nossa sociedade, tão arduamente conquistados, contra essa (...) comuno-anti-cristâ. Parabéns e força, que a missão não fácil nem pequena. Rodrigo (Goiania,GO)

____________________________________

Nossa solidariedade à jornalista Mirian Macedo. As denúncias feitas por ela são absurdas e o Ministéio Público deveria tomar medidas para barrar essa deturpação do ensino. http://blogandofrancamente.blogspot.com Antonio Carlos de Oliveira (São Paulo, SP)

____________________________________

Venho prestar meu total apoio ao Escola Sem Partido. Achei curiosa a explicação do Sistema COC de Ensino, sobre os esquemas interpretativos que podem ser utilizadas na leitura da história da humanidade, a saber: a marxista e a weberiana. Ora, se essas duas opções são, em certo sentido, antagônicas, POR QUE SOMENTE A MARXISTA É APRESENTADA NA IMENSA MAIORIA DOS LIVROS E APOSTILAS ESTUDANTIS? Oswaldo Viana (Niterói, RJ)

____________________________________

Estou de pleno acordo com as palavras da jornalista, e da mesma forma condeno a lavagem cerebral imposta a essa meninada. "Assim não dá; assim não pode." Abaixo a Ditaduta neo-fascista!!! Fora Lula e sua quadrilha!!! Democracia Já!!! Orfeu Lima (Lauro de Freitas, BA)

____________________________________

Apoio plenamente o site e a jornalista Mirian Macedo. Assuntos doutrinários ainda mais da forma como estão apresentados em apostilas deste sistema são condenáveis pois incitam as crianças desde pequenas à luta de classes. Se fosse comigo, denunciaria da mesma forma que a mãe e jornalista. Me parece que os esquerdóides de sempre por não terem mais apoio no mundo livre desde que o Muro de Berlin foi abaixo e com ele a doutrina deletéria dos seguidores marxistas, elegeram a América Latina e dentro dela o Brasil para tentarem proliferar suas idéias deturpadas. Antonio Camargo (São Paulo, SP)

____________________________________

Deixo aqui minha solidariedade a jornalista do site escola sem partido. Jandro Dimer (Rio de Janeiro, RJ)

____________________________________

Grande jornalista, não tenha medo desses hipócritas, apenas sinta pena deles, pois o que há de pior na sociedade por acharem que todos são idiotas quanto eles. O pior é que essas pessoas sabem que estão erradas, no íntimo, olham a própria alma e deseperam, eis que ninguém está salvo da eternidade, todos morrerão um dia e terão que prestar contas com Deus. Fique tranquila, não perca nem um segundo de sono por causa deles, sou advogado e afirmo que a maioria da justiça é honesta, principalmente em primeira instância. Quem detém a verdade não precisa temer, como Fidel Castro que está enganando a morte pois sabe que sua hora de pagar esta chegando, observe os olhos do ditador na TV, é fácil observar sua angústia e desespero. Esses hipócritas também têm medo pois sabem que a hora de pagar dura a eternidade. Uma última coisa, existem milhões como vc que estão na vigília e não aceitam doutrinação. Um abraço e que Deus te abençoe. Thiago Luiz Cardoso (Belo Horizonte, MG)

____________________________________

Ou temos liberdade de expressão, dentro dos limites legais, ou não a temos. Não há dúvida que vocês têm todo o direito de discordar da pregação marxista do COC, e denunciá-la quando bem entenderem. Gerações inteiras de brasileiros foram sacrificadas até que o País entrasse no caminho da democracia, e não podemos admitir retrocessos, por mais subalternos que pareçam. Erico Valduga (Porto Alegre, RS)

____________________________________

Parabenizo os organizadores do site Escola sem Partido. Trata-se de uma notável contribuição para a verdadeira conscientização educacional, alerta que traz o brilho de uma chama no final do túnel, advertência que nos informa que nem tudo está perdido. Oxalá as gerações futuras saibam que nem todos coadunavam com a doutrinação ideológica reinante em nossa educação. Site: www.ricardocosta.com - Revista Mirabilia (dir.): www.revistamirabilia.com Prof. Dr. Ricardo da Costa (Vitória, ES)

____________________________________

Escrevo para prestar meu apoio à jornalista Mírian Macedo que suscitou a revolta do COC. Se perder na justiça, o episódio já serviu para que todos vejam como funciona a democracia que esses marxistas gostam de incentivar: aquela que cala seus oponentes. César M.B. Guerra (Lauro de Freitas, BA)

____________________________________

Certamente a Justiça não dará guarida a um comportamento educacional que busca a alienação de jovens estudantes ao caminho do marxismo-comunismo, através de um ensinamento tão anti-cristão assim narrado no texto da jornalista Miriam. Como advogado, penso, que não só ao exame frio da lei, comportará o magistrado que examinar o processo movido contra vocês. Também, e, principalmente, o examinará sob o prisma cristão. Que a luta de vocês possa continuar, pois somente assim poderemos evitar que tão grande mal possa tomar conta definitivamente do nosso país. Fiquem com Deus e tenham êxito. Wilson Silveira Lopes (Montes Claros, MG)

____________________________________

Coloco minha cara e minha vida pela LIBERDADE e pela ESCOLA NEUTRA, ISENTA. Que ela tenha o perfil formador de opiniões livres, inteligentes, sem cabrestos. Crianças e adolescentes devem receber orientações não diretivas para que façam sua escolha. Com certeza, os melhores argumentos vencem, no caso, a Liberdade ganha sempre! Parabéns pela coragem. Estamos com vc e só assim, nossos filhos e netos usufruirão de um pais livre. Pobreza indecente é a pobreza moral. Disponha, somos parceiros nisso. Wanderley Serrou Camy (Pedro Gomes, MS)

____________________________________


Parabéns pelo site, continuem lutando. Abraço e fiquem com Deus. Gustavo (Santa Cruz do Sul, RS)

____________________________________

O blog expressaototal.blogspot.com.br declara abertamente seu apoio ao ensino sem ideologia! Apoia mais do que nunca, o site www.escolasempartido.org, na divulgacao dos crimes cometidos contra nossas instituicoes de ensino, pelos retrogrados e ignobeis esquerdistas! Saudacoes! Jeferson Furtado de Lima (Teresina, PI)

____________________________________

Em defesa de uma escola que ensine!!! De preferência que possamos ensinar nossos filhos em casa !!! Renato Albuquerque Guimarães (São Luís, MA)

____________________________________

Dou todo o meu apoio à jornalista Mírian Macedo, que está sendo indevidamente processada pelo Sistema COC de Ensino, por ter criticado um de seus conteúdos usados em sala de aula. Devemos criticar, sim, a visão unilateral e partidária, geralmente marxista, dos métodos de ensino adotados na maioria das escolas brasileiras, porque tal visão, além de sabotar a verdade histórica, compromete o desenvolvimento intelectual de vários inocentes, ao ser pautada apenas num único viés ideológico. Mírian Macedo e Miguel Nagib, contem com meu apoio. Carla Cristina Teixeira Santos (Vitória, ES)

____________________________________

Estou enviando uma mensagem de apoio ao site que se vê confrontado com os amigos do chavez e do totalitarismo e está vendo como se sofre hoje em dia por simplesmente querer a paz, a honestidade e a civilidade; quando a malta se une para destruir o perigo é grave; escrevo livros e só pude editá-los por minha própria despesa e por minhas prórpias custas; tenham confiança e sejam prudentes o período é de trevas e os vermes se expõe quando não há sol. Um abraço, p.s. continuarei usando os vossos textos. Milton Larentis (Bento Gonçalves, RS)

____________________________________

Bom, gostaria de saber se esses marxistas andam de GURGEL, pois criticam, rosnam e quando um deles assume uma pasta no governo ou galga qualquer degrau da vida, nao abre mao de um VINTEM, e so andam de importado. Comem CAVIAR e arrotam Marx. As escolas obrigatoriamente devem expor as teorias e nao enfia-las garganta abaixo dizendo querendo que o aluno a adote e va para prega-las com uma religiao. Misael Fernandes (Ibirite, MG)

____________________________________

Apoio a iniciativa da Escola sem partido. Escola não é lugar de doutrinação!!! Os jovens devem ser educados para ser livres. Deve-se apresentar a eles TODAS as opções, de maneira isenta, para que se decidam LIVREMENTE por uma delas. Cerceamento da liberdade de expressão é o método utilizado pelos déspotas de plantão. Mas NÃO PODEMOS mais ceder. Os inimigos da liberdade são os mesmos de sempre. Travestem-se de religiosos, grandes líderes, defensores dos necessitados, etc... Na verdade o que eles querem é roubar a nossa capacidade de pensar e tolher a nosso direito de escolher o caminho da liberdade. Como nos advertiu Eduardo Alves da Costa no texto "No caminho com Maiakovsk": "Na primeira noite eles se aproximam/ e roubam uma flor do nosso jardim./ E não dizemos nada./ Na segunda noite, já não se escondem:/ pisam as flores, matam nosso cão,/ e não dizemos nada./ Até que um dia,/ o mais frágil deles entra sozinho e nossa casa,/ rouba-nos a luz e, conhecendo nosso medo,/ arranca-nos a voz da garganta./ E já não podemos dizer nada." Eduardo Fraga (Brasília, DF)

____________________________________

Parabéns pela clareza de idéias, e pela coragem de confrontar esse rolo compressor ideológico que ameaça esmagar os cérebros juvenis. Tenho, há algum tempo, me preocupado com a qualidade do ensino (Péssima!), e com o aparelhamento dos professores dentro de um molde ideológico específico. Realidade bem presente, que só pode ser negada por alienados ou cooptados. Continuem na luta. São uma motivação!!! Anderson Gonzaga (Vitoria, ES)

____________________________________

Tem meu apoio; considero uma aberração o sucedido! Axel Behrends (Nova Petrópolis, RS)

____________________________________

Caros membros do excelente e esclarecedor site 'Escolasempartido.org', Recebam minha solidariedade em vossa luta! Não desistam! É odioso o discurso esquerdista desses pseudo-educadores. Um professor que lança mão de mentiras para ensinar seus alunos não pode adentrar em uma sala de aula. Luiz Henrique Corrêa Mortágua (São Paulo, SP)

____________________________________

É impressionante!!! E saber que o pensamento do poder central é o mesmo desse povo. Aonde vamos parar, eles não se intimidam com nada. Não desistam e nem se deixem abater. Continuem denunciando e, principalmente, nos informando e instruindo-nos na Educação consciente e apartidária de nosso filhos, para que possamos ter num futuro próximo um País melhor, sem as desigualdades que aí estão. José Mário Paiva (Jerônimo Monteiro, ES)

____________________________________


Venho através desta mensagem manifestar meu integral apoio aos articulistas do site Escola sem Partido, e declarar minha completa indignação em relação aos rumos que a nossa cultura vem tomando, sob a batuta ideológica da esquerda politicamente correta. A "democracia" no nosso país está se misturando a técnicas de levagem cerebral. Uma nação que ensina Charles Brown Jr. aos seus jovens e coloca luminares como Gustavo Corção na obscuridade mostra a forma como pretende "revolucionar" a sociedade: propor uma aliança entre um submarxismo culturalista e a cultura de massas! Até os frankfurtianos ficariam indignados com tamanha monstruosidade... Armando Lôbo (Rio de Janeiro, RJ)

____________________________________

Ensinar é o exercitar a liberdade. E liberdade deve ser entendida como uma condição de pensar, expressar e adquirir a responsabilidade. Portanto, não há o que restringir pela liberdade. Deixo meu apoio. Danilo Dornas (Sao Joao del Rei, MG)

____________________________________

Aqui estamos todos com vocês, com certeza essa processo ridículo que o Sistema COC está colocando por cima de vocês irá ficar barrado pela justiça! Santiago Rodrigues Staviski (Maceió, AL)

____________________________________

É lamentável o modus operandi do Sistema COC. A atitude sugere que os responsáveis pela instituição estão muito mais interessados no doutrinamento ideológico, com o bônus de ganharem dinheiro no processo, do que em qualquer possibilidade de melhora no material de ensino que providenciam aos alunos brasileiros. É nesse ponto que estamos chegando no Brasil: a expressão de opiniões contrárias é acolhida com processos, truculência, gritos de horror de "ó, mancharam a minha imagem". Se não vivemos numa ditadura normal, estamos perto de chegar a uma na prática. Márcio Porto (Brasília, DF)

____________________________________

O lado positivo dessa história é que se o COC vencer até os finalmentes a parada jurídica, o caso pode virar notícia nacional, manchete escandalosa em diversos jornais. E as conseqüências piores, cabeças vão rolar no COC. De qualquer forma, via internet, o texto já está se espalhando com muita rapidez e o COC vai precisar rever - se já não está - algumas de suas atitudes pedagógicas e mercadológicas, tipo cuidar mais de suas apostilas e tratar melhor seus clientes insatisfeitos. Antonio Kuntz (Uberlândia, MG)

____________________________________

Parabéns pela luta contra a patrulha ideológica marxista! Continue assim! Daniel Mayer (Recife, PE)

____________________________________

Manifesto minha solidariedade ao site e à jornalista. E oro a Deus para que os que pensam em processar e destruir o site percebam que estão, com esse ato, contribuindo para a sua própria destruição. Adilson Boson Almeida Junior (Salvador, BA)

____________________________________

É inadmissível que uma situação como essa fique inpune. No artigo escrito pela Sra. Mirian, fica evidente até demais a doutrinação esquerdista que os professores tentam passar de maneira sutil até que não seja mais necessária essa sutileza e escancare-se a parcialidade. Torço para que ainda haja inteligência democrática nesse país, para que essa brilhante jornalista não seja penalizada por denunciar a verdade. Apóio esse movimento e acho que se existissem mais pessoas como a Sra. Mirian, a situação não estaria tão escancarada desse jeito. Rogério Góes Sampaio (Salvador, BA)

____________________________________

Sua iniciativa é muito importante. Tenho visto não só que as escolas e também as universidades se transformaram em fábricas de cooptação ideológica e além do evidente desvio que isto contitui da própria funcionalidade das insituições de ensino o nível dos alunos tem baixado muitíssimo impedindo a participação dos alunos aí formados na competição mundial, na inserção no mundo da informação. Continuem firmes! Flor Martha S. Ferreira (Rio de Janeiro, RJ)

____________________________________

A propaganda ideológica é realmente muito nociva à mente das pessoas. Ela é capaz de fazer um empresário defender posições completamente contrárias ao sucesso de seu empreendimento, acreditando estar defendendo exatamente a sua liberdade de empreender da maneira como quiser. Se fosse criança, eu diria: "deixa ele que uma hora ele aprende". Mas, nesse caso, quando ele aprender, será tarde demais. Eu prefiro não pagar para ver. Um abraço a todos que apoiam o Escolasempartido! Estou com vocês! Rafael (São Paulo, SP)

____________________________________

O processo que sistema COC está movendo contra o site Escola Sem Partido é absurdo.É a velha estratégia gramscista de tomada de poder. Espero que o judiciário não seja tão esquerdista quanto o sistema COC de ensino. Um forte abraço e parabéns pelo ótimo trabalho em prol da liberdade. Guilherme Reischl (Porto Alegre, RS)

____________________________________

Manifesto minha integral solidariedade ao Escola Sem Partido. Poucas vezes na história do Brasil temos visto tamanha doutrinação marxista, ao ponto de professores, a quem confiamos a guarda, o cuidado e a formação de nossos filhos, desviando-se de seus juramentos profissionais - o que é um juramento nestes dias? - trabalham no sentido de impor, de forma covarde, porque não dizer gransciana, idéias que os jovens, só deveriam optar ao atingir idade madura. Sou contra a toda e qualquer doutrinação política e religiosa, seja qual for a ideologia e o credo. Não quero as nossas escolas transformadas em madrassas. Amarilio Tadeu Freesz de Almeida (Brasília, DF)

____________________________________

Miguel e Miriam:

Meu total apoio às suas iniciativas. Se o Escola Sem Partido for condenado, quem irá defender os alunos? Luis Afonso Assumpcao (Porto Alegre, RS)

____________________________________

Prezados amigos do "Escola sem Partido", Manifesto minha solidariedade diante das novas amarguras sofridas e torço para que a causa da educação apartidária não se abale com tamanha desfaçatez desses supostos educadores. Recebam meu abraço e meu apoio. Eduardo Mohallem (Belo Horizonte, MG)

____________________________________

Absurdo uma coisa dessa. Já vi em muitas escolas públicas as orientações esqueristas que os alunos tem que absolver, queira ou não. São textos às vezes complicados para jovens, um deles é do Frei Beto, que conta uma história sobre o Iraque, na visão dele. Neste caso, o aluno tem que desenvolver, partido do texto do frei, uma conclusão absurda, que os terroristas são do bem e que os EUA uma força mercenária, que invadiu e matou muitos jovens - Não existe no texto do frei, uma alusão ao ataque as duas torres do WTC em New York. Noutra, aparece um livro de contos, onde a bandeira do Brasil é achincalhada com a foice e o martelo, com um texto pequeno e explicativo que aqueles dois símbolos do comunismo, um dia iria ser acrescentado na bandeira, pois eles, representam o fim de um tempo em que crianças passavam fome, eram torturadas; e tais simbolos devolverão a liberdade e a punjança do Brasil futuro! Mais ou menos isso. Bobby Grouver (Belo Horizonte, MG)

____________________________________

Educar deveria ser guiar o conhecimento, e dar a ciência necessária para que cada aluno desenvolvesse sua própria opinião. Possibilitando o outro a adquirir dotes intelectuais, guiando neste caminho. Induzir um pensamento é manipular, é tirar a liberdade do outro de ter o seu parecer, e isto não é educar. Trata-se de um adestramento juvenil, e não era isto que deveria ser. Artur Guarnieri (Rio de Janeiro, RJ)

____________________________________

Fica aqui meu apoio à jornalista Mírian Macedo, meu apoio ao site Escola Sem Partido, e meu repudio à censura levada a cabo, através do judiciário, pela rede COC, para tentar esconder a verdade sobre a podridão de seus métodos de ensino. Abaixo a censura!!! Victor Lourenço (Goiânia, GO)

____________________________________

Pensar uma nova escola para o Brasil e lutar para que ela se concretize é uma tarefa que poucos parecem abraçar efetivamente. A escola hoje mais aliena que dá aos alunos a verdadeira liberdade de consciência. Francivaldo Lourenço da Silva (Praia Grande, SP)

____________________________________

Vocês tem o meu irrestrito apoio na causa de combater a ideologização da educação. Abel Aquino de Souza (São Paulo, SP)

____________________________________

A liberdade de cátedra é necessária, no entanto é necessária a educação sem doutrinação. Pedro Luis Tiere (São Carlos, SP)

____________________________________

Preciso deixar claro meu total apoio à este grupo Escola Sem Partido e meu repúdio ao sistema COC. Nós, jovens, estamos submetidos à um ensino sem senso de neutralidade e rigorosamente marxista. Nos livros de história e geografia, além das informações falsas, o que temos é ficção marxista - luta de classes, materialismo histórico. Qualquer pequeno esforço deste grupo Escola Sem Partido contra o maldito COC e a doutrinação explícita em geral, é exercício de liberdade de expressão e funciona como luz de honestidade. Novalis (Belo Horizonte, MG)

____________________________________

Venho prestar meu apoio e solidariedade para com os coordenadores do site Escola sem Partido, assim como para com os coordenadores dos sites Mídia sem Máscara e Usina de Letras. Isto é mais uma perniciosa e descarada demonstração de repressão à liberdade de pensamento e expressão. De um caráter quase ‘Orwelliano’ eu diria. Uma atitude tola de quem não consegue se fazer convencer com as palavras e quer usar da força para calar. Thiago dos Reis de Tunes (Santa Maria, RS)

____________________________________

Venho aqui deixar meu apoio ao Escola Sem Partido, que considero uma das organizações que mais faz pela Educação no Brasil ao procurar combater aqueles que usam o sistema educacional para doutrinação e eliminação da capacidade crítica dos alunos. E repudio veementemente as forças vis e torpes que nos últimos anos vêem se levantando contra o sagrado direito da liberdade de expressão, pré-condição para a democracia e para o estado de direito, forças essas que agora estão atacando membros do Escola Sem Partido. O que não chega a ser surpreendente: forças desse tipo se incomodam profundamente com instituições que são autênticas velas brilhando no escuro, como o Escola Sem Partido. Lúcio de Souza Coelho (Belo Horizonte, MG)

____________________________________

Não sem surpresa, através do site do Percival Puggina tive acesso ao site de Vª Sª, terminando por saber que existe dissonância ao domínio construtivista.Tenho estado deveras temeroso com o estado do ensino nas escolas públicas e privadas e também com as instituições de ensino superior, mas a luta que promovem é de fundamental importância para evitar que o totalitarismovença, razão pela qual remeto essa mensagem de apoio. Eduardo Sant'Anna Finn (Sant'Ana do Livramento, RS)

____________________________________

O Sistema COC se sente ofendido porque não quer que se tome conhecimento de seus métodos ideologicamente enviesados, mas todos os alunos e pais de alunos têm o direito de saber. É aí que entra um papel importante da Escola Sem Partido, com seu intuito de dar apoio às pessoas que simplesmente não querem se render à doutrinação esquerdista dissimulada que nos ataca de todos os lados, no trabalho, na escola, nas universidades e em todos os veículos de comunicação.

Pra quem está a par da situação, é assustador ver o quanto as recentes ameaças à informação e à liberdade de expressão nos aproximam da situação da Venezuela. Fico imaginando se a justiça brasileira vai nos ajudar a perder mais esse direito, condenando a jornalista Mírian Macedo, o Escola Sem Partido e outros sites que vincularam a notícia pelo simples ato de informar. Luis Gustavo Gentil Machado Farias (Brasília, DF)

____________________________________

Parabens pela iniciativa e vão em frente sem esmorecer. Francisco José de Brito Tòvar Faro (São Paulo, SP)

____________________________________

A simples existência desse COC fere minha integridade moral! Quero minha indenização, COC! Ridículo. Juliano (Santa Bárbara d'Oeste, SP)

____________________________________

Escola sem partido, Já. Abaixo à infantilidade e à estupidez de escolas que de tão sábias sequer sabem que promovem cooptação ideológica. Aruan (Franca, SP)

Continua