Depoimento de Marcelo Faria, via Facebook (01.07.2016)

Comigo aconteceu várias vezes em várias ocasiões conforme decorriam os anos do ensino fundamental. Mas a que mais me marcou mesmo foi na 7ª série qdo entrou uma professora nova de história (prova de um ensino público caótico: a cada semestre mudavam os professores, cada vez de uma matéria – era uma ciranda de professores) na minha sala, que me marcou muito pq ela odiava os EUA, ela nem falava o nome estados unidos, mas sim Tio Sam. E todos os problemas da américa latina ela dizia que eram causados por interferencias dos EUA em conspirações e planos diabólicos que eles faziam intervindo na politica da região.

Essa professora me marcou muito pq era visível nela um comportamento que chegava á histeria. Ela fechava as mãos pisava forte no chão batendo e xingando o tal Tio Sam. 75% do tempo de aula eram comentários aleatórios sobre politica sempre com o pretexto de detonar os EUA. Aula de história mesmo com ela eu praticamente não tive.

Teve um tbm professor de geografia qdo eu estava na 8ª série, esse cara era novinho devia ter uns 23 anos… Ele era muito tímido chegando ao ponto de gaguejar pra falar ou chamar atenção dos alunos com relação a disciplinar a turma. MAs o que despertou o meu alerta antidoutrinação foi que ele tinha uma matéria extensa para dar ( neste caso era as Relações entre espaço geográfico e globalização, mercados e economias mundiais e tal… ) mas ele só falava da china de mao-tsé tung dos feitos e avanços do sistema comunista incluindo Ho chi mim e a vitória na guerra do vietnã….todo o curso dele foi o mundo comunista, ele nem tocou em assuntos como europa ou EUA, e parecia que essas regiões do globo nem existiam. Nem mesmo sobre UE ele comentou.

Outro episódio ocorreu agora na faculdade de história. Tem aqui uma professora de historia da américa II – que ensina a história moderna da américa pós-colonial, ela ensinou sobre todos os regimes e ditaduras da américa latina….e pasmem nenhum minuto ou nenhuma linha se quer sobre a independência dos EUA ou aquelas paradas dos federalistas e toqueville. Acho que na cabecinha dela EUA não faz parte da américa só pode ser….absurdo completo, e confesso : fiquei chapado com a cara de pau. E uma idolatria com Zapatismo, EZLN e as FARC que tomaram conta do curso inteiro.

Aí eu esperei pacientemente até que no final do curso na penultima aula eu chamei ela no canto e chamei atenção dela por ter ignorado a historia norte-americana, ela meio que ficou sem graça…e na ultima aula fez uma mea culpa sem vergonha e ficou por isso mesmo. Como uma professora dessas ganha do governo federal uma fortuna pra dar duas aulas semanais e fazer uma patifaria dessas?

Bem, meu relato já esta muito grande, mas essas foram as minhas mais marcantes experiências,mas aproveito para frisar que aconteceram várias outras mas por motivo de síntese me abstenho e fico por aqui.Espero ter contribuido em algo. Força sempre.

Comigo aconteceu várias vezes em várias ocasiões conforme decorriam os anos do ensino fundamental. Mas a que mais me marcou mesmo foi na 7ª série qdo entrou uma professora nova de história, prova de um ensino público caótico : a cada semestre mudavam os professores cada vez de uma matéria – era uma ciranda de professores- na minha sala que me marcou muito pq ela odiava os EUA ela nem falava o nome estados unidos mas sim Tio Sam. E todos os problemas da américa latina ela dizia que eram causados por interferencias dos EUA em conspirações e planos diabólicos que eles faziam intervindo na politica da região. Essa professora me marcou muito pq era visível nela um comportamento que chegava á histeria. Ela fechava as mãos pisava forte no chão batendo e xingando o tal Tio Sam. 75% do tempo de aula eram comentários aleatórios sobre politica sempre com o pretexto de detonar os EUA. Aula de história mesmo com ela eu praticamente não tive.Teve um tbm professor de geografia qdo eu estava na 8ª série, esse cara era novinho devia ter uns 23 anos…ele era muito tímido chegando ao ponto de gaguejar pra falar ou chamar atenção dos alunos com relação a disciplinar a turma. MAs o que despertou o meu alerta antidoutrinação foi que no caso dele ele tinha uma matéria extensa para dar ( neste caso era as Relações entre espaço geográfico e globalização, mercados e economias mundiais e tal… ) mas ele só falava da china de mao-tsé tung dos feitos e avanços do sistema comunista incluindo Ho chi mim e a vitória na guerra do vietnã….todo o curso dele foi o mundo comunista, ele nem tocou em assuntos como europa ou EUA, e parecia que essas regiões do globo nem existiam. Nem mesmo sobre UE ele comentou. Outro episódio ocorreu agora na faculdade de história. Tem aqui uma professora de historia da américa II – que ensina a história moderna da américa pós-colonial, ela ensinou sobre todos os regimes e ditaduras da américa latina….e pasmem nenhum minuto ou nenhuma linha se quer sobre a independência dos EUA ou aquelas paradas dos federalistas e toqueville.Acho que na cabecinha dela EUA não faz parte da américa só pode ser….absurdo completo, e confesso : fiquei chapado com a cara de pau. E uma idolatria com Zapatismo, EZLN e as FARC que tomaram conta do curso inteiro. Aí eu esperei pacientemente até que no final do curso na penultima aula eu chamei ela no canto e chamei atenção dela por ter ignorado a historia norte-americana, ela meio que ficou sem graça…e na ultima aula fez uma mea culpa sem vergonha e ficou por isso mesmo. Como uma professora dessas ganha do governo federal uma fortuna pra dar duas aulas semanais e fazer uma patifaria dessas? Bem, meu relato já esta muito grande, mas essas foram as minhas mais marcantes experiências,mas aproveito para frisar que aconteceram várias outras mas por motivo de síntese me abstenho e fico por aqui.Espero ter contribuido em algo. Força sempre.

Open chat
1
Olá 😊 !!!! Como podemos ajudar?
Powered by