MP processa colégio particular de BH por martelar ideologia de gênero na cabeça dos alunos

Leia a petição inicial da ação civil pública movida pelo Ministério Público de Minas Gerais contra a mantenedora do Colégio Santo Agostinho, em Belo Horizonte. Com as devidas adaptações, a petição inicial pode servir de modelo para pais que se sintam lesados pela imposição da ideologia de gênero processarem a escola dos seus filhos, lembrando que a lei dos Juizados Especiais não exige a representação por meio de advogado se o valor da causa for inferior a 20 salários mínimos.

(Para baixar em formato Word, clique aqui)

Leia mais...

Leia o parecer do relator do Projeto Escola sem Partido na Câmara dos Deputados

Lido hoje, 08.05.2018, na Comissão Especial do Escola sem Partido, na Câmara dos Deputados, o brilhante parecer do Dep. Flavinho (PSC-SP), pela aprovação do projeto de lei que institui em todo o país o Programa Escola sem Partido.

Na foto, os Deputados Flavinho e Marcos Rogério (DEM-RO), presidente da Comissão; ao centro, o advogado Miguel Nagib, fundador do ESP.

Clique AQUI para ler a íntegra do parecer. 

Flagrante de doutrinação em escola de Santa Catarina.

Mãe de aluna denuncia e comprova conduta covarde, antiética e abusiva da professora de história. 

 

Parecer sobre a constitucionalidade do Programa Escola sem Partido

Resultado de imagem para constituiçao

Clique AQUI para ler o parecer sobre a constitucionalidade dos anteprojetos de lei estadual e municipal do Movimento Escola sem Partido, de autoria do advogado Miguel Nagib.

Modelo de petição inicial contra o cabresto politicamente correto do ENEM

Resultado de imagem para enemO edital do Enem/2017 estabelece, como nas edições anteriores, que será atribuída nota ZERO à redação que "desrespeitar os direitos humanos". Ora, ao impor essa exigência o próprio INEP (responsável pelo Enem) desrespeita os direitos humanos dos candidatos, já que o direito à livre manifestação do pensamento está previsto na Declaração Universal dos Direitos Humanos, bem como na Constituição Federal. Trata-se, portanto, de uma exigência inconstitucional, que viola a liberdade de expressão de milhões de estudantes brasileiros.

Resta a esses estudantes recorrer ao Poder Judiciário para fazer valer o seu direito constitucional à livre manifestação do pensamento.

Por isso, o Escola sem Partido elaborou um modelo de petição inicial para ser usado por todos os inscritos no Enem/2017 que não aceitam o cabresto politicamente correto imposto pelo INEP.

Para baixar o modelo (em formato Word) clique AQUI. Consulte um advogado ou defensor público.

Pagina 1 de 7

 


Tomatadas

O Blog do Diniz


De olho no livro didático

Blog do Prof. Orley


Não deixe que seu professor faça isso com você.


Denuncie!


Enfim, o tema musical da educação brasileira



Biblioteca Politicamente Incorreta

O-Guia-politicamente-incorreto-da-história-da-América-Latina


 

Popular

Novidades

Contato