Depoimento de R.N. (23.09.2016)

Tenho mais de 30 anos, sempre estudei em escola particular, e só hoje fui perceber a importância do Escola sem Partido.
Seguem abaixo dois pontos que gostaria de contribuir com vocês.

– Durante todo o tempo em que estive na escola, TODOS os professores sempre ensinaram que a Guerra Fria era o capitalismo vs. socialismo, OTAN vs. Pacto de Varsóvia, EUA vs União Soviética. Esse era o resumo. Tratavam os dois lados em níveis iguais e nunca apontavam os verdadeiros culpados pela Guerra Fria.

Pra vocês terem uma noção, sempre foi um assunto que me interessou, e mesmo assim, terminei a escola pensando que o Muro de Berlim era apenas um muro que dividia as duas Alemanhas. Primeiro que não dividia as Alemanhas, apenas isolava a parte ocidental. Segundo, e mais importante, JAMAIS um professor me disse QUAL das duas Alemanhas construiu o muro e POR QUÊ! JAMAIS! E olhe que eu gosto muito do assunto. Imaginem aqueles alunos que sequer se interessam. Qual a possibilidade de esses alunos realizarem uma pesquisa mais aprofundada?

Saí da escola sem saber que o muro na verdade cercava a parte ocidental de Berlim e que todos queriam ENTRAR lá. Se um único professor tivesse dito isso em sala de aula, faria com que, no mínimo, os alunos pensassem: afinal, por que cercar esse pedacinho de terra dentro de metade do país? Por que metade do país quer tanto entrar nesse pedacinho de terra ali no meio? Se os professores tivessem ao menos feito os alunos fazer essa indagação, não haveria tantos comunistas idiotas hoje que ainda defendem Fidel, Lenin, Stalin e por aí vai.

– O segundo ponto que quero destacar é sobre os cursos pré-vestibular. Acho que vocês deveriam dar uma ênfase maior a eles. Pois ali são alunos na faixa dos 16 aos 18 anos que estão começando a se interessar por política até mesmo porque estão começando a VOTAR. Eu posso falar sobre a minha experiência.

Tive um único professor de história em Porto Alegre que não pregava o esquerdismo. O nome dele é Marcelão. Um professor conhecido nos cursos pré-vestibular. Os demais, de história e geografia, TODOS pregavam. Não posso dizer que os alunos não tinham liberdade para contestar porque nunca vi nenhum aluno tentando. Mas tive um professor que exaltava Stalin. Outro professor que tratava a ditadura brasileira como um período de grande terror onde as pessoas tinham medo de sair na rua. E por aí vai. 

Um vez, quando Argentina e Inglaterra se enfrentaram na copa do mundo, um professor (o mesmo que idolatrava Stalin) disse que sentia vergonha dos alunos que torceram pela Inglaterra, pois essa “massacrou covardemente” a pobre Argentina nas Malvinas. Quer dizer, o sentimento anti-imperialista é tão forte que nessa hora até mesmo o General Galtieri é “esquecido” na hora de apontar os culpados pelas mortes nas Malvinas. 

Outro professor ficou certa vez até metade de uma aula falando só sobre política e fazendo proselitismo barato até que um aluno gritou “aula por favor, eu quero passar no vestibular” e o professor respondeu “isso É aula”. Lembrando que era um curso pré-vestibular PAGO.

Deixe uma resposta